Entenda as revoluções industriais e o que a atual quarta revolução industrial causa no mundo da Gestão de Projetos. Neste post, traremos as habilidades essenciais, mudanças e adaptações necessárias que o profissional da área, ou seja, o gerente de projetos, deve adquirir para a nova era que, para alguns, já chegou, e que para outros esta chegando (e com tudo !): a digital.

Explicando as revoluções industriais e o que é a quarta revolução industrial

A quarta revolução industrial está presente nos dias atuais, estamos vivendo este momento, mas você sabe por que afirmamos isto ? Em frações de segundos, a informação percorre da tela do seu smarthphone para o computador na China, ou a foto que foi tirada em Paris já esta sendo visualizada por todo o mundo, hoje todo o caixa da empresa é virtual e para comprar roupa não é preciso mais experimentar. Graças ao avanço tecnológico, o setor empresarial evoluiu em todos os aspectos e é muito mais fácil e complexo (sem pegadinhas)  se gerir organizações.

WhatsApp Image 2018-09-01 at 16.20.00
Figura 1 -Épocas e história das revoluções industriais / Fonte: LINKEDIN

Segundo Jônatas Rodrigues (2011) e Lucas Malamina (2018), o que as revoluções industriais causaram ao mundo da gestão de projetos é imensurável, cada uma que foi ocorrendo, foi-se criando novas estratégias, novas ferramentas e novos conceitos. A primeira, segunda e terceira revolução industrial (Figura 1), mostram que os processos, ao longo do tempo, foram se automatizando, e pessoas passaram a dar lugar às máquinas, com a substituição pelas máquinas a vapor (primeira), uso da eletricidade (segunda) e modelos sistêmicos de produção, como o Toyota (terceira). A quarta revolução está ocorrendo nos dias atuais, e tem um conceito de “indústria 4.0”: é um conceito de indústria proposto recentemente e que engloba as principais inovações tecnológicas dos campos de automação, controle e tecnologia da informação, aplicadas aos processos de manufatura. A partir de Sistemas Cyber-Físicos, Internet das Coisas e Internet dos Serviços, os processos de produção tendem a se tornar cada vez mais eficientes, autônomos e customizáveis. A quarta revolução industrial está causando mudanças nos processos das empresas, desde as formas de produção, passando pela cadeia de suprimentos e está chegando também aos profissionais. A revolução digital está mudando tudo radicalmente e as perspectivas são de alterações ainda mais profundas.

O Gestor de Projetos e as habilidades necessárias

Segundo Gil Espinha (2018), o gestor de projetos deve estar preparado ao assumir um cargo de gerencia, pois ele trabalha sob muita pressão, e até constante. Problemas com prazos e orçamentos, que nem sempre são ideais, clientes e chefia reclamando, pedindo e até exigindo resultados a todo instante. E pra completar o ambiente, não pode deixar de faltar o imprevisto, é claro.

O cenário não parece favorável, porém para atingir altos picos na carreira, os desafios são essenciais e até motivadores. Estes desafios estão presentes diariamente na vida de um gerente de projetos, e para não acabar se enrolando e atrapalhando a todos os envolvidos, deve-se ter um leque de habilidades imprescindíveis. Resumidamente, as habilidades indispensáveis a um gerente de projetos são:

  • capacidade de trabalhar sob pressão;
  • gestão de tempo e de tarefas;
  • conhecimento de todas as funções e etapas associadas ao projeto;
  • flexibilidade;
  • boa comunicação interpessoal;
  • capacidade de trabalhar em equipe;
  • liderança;
  • ser capaz de identificar e administrar todas as pessoas que participam do projeto.

Resumindo um pouco mais todos os pontos citados, chegamos aos quatro mais importantes: organização, flexibilidade, boa comunicação e liderança.

Organização: controlar, disciplinar e objetivar são características fundamentais para uma boa gestão de tempo, pois são muitas etapas do projeto existentes e a serem cumpridas, e se você não souber administrá-las, certamente ficarás perdido das acontecimentos que ocorrem simultaneamente.

Flexibilidade: momentos de crise necessitam de uma maior flexibilidade, afim de se chegar a uma rápida solução, é o famoso “jogo de cintura”.

Boa comunicação: segundo o PMI 2017, é a habilidade mais deficiente dos gerentes de projetos, e é a segunda mais valorizada pelas organizações. A comunicação é uma habilidade indispensável para quem segue essa carreira, uma vez que os gerentes de projetos são os transmissores responsáveis por fornecer detalhes para as equipes que vão executá-los.

Liderança: de acordo com o PMI 2017, é a habilidade mais valorizada pelas organizações. Ser um líder requer conhecer sua equipe, sabendo se organizar e comunicar de forma flexível com todos, com o propósito de alcançar sempre os objetivos almejados. Além de saber ouvir e escutar a todos, é claro.

A Gestão de Projetos: mudanças e adaptações – O Business Intelligence

Conforme Lucas Malamina (2018): “A Gestão de Projetos está sendo renovada e o gestor de projetos deverá se capacitar e abraçar novos conceitos para aumentar suas competências e adequar se as necessidades do mercado”.

Como estamos falando da Era Digital, devem-se utilizar as ferramentas digitais, como o Trello, Asana, Project,… Entre tantos outros. Não se pode esquecer-se das ferramentas clássicas como o EAP, Kanban,… Quanto aos conceitos, devem-se seguir os mesmos, mas gostaria de intensificar o conceito de BI – Business Intelligence.

WhatsApp Image 2018-09-01 at 16.20.02
Figura 2 –  O ciclo BI relacionado com as fases das áreas de conhecimento do PMI 2017 / Fonte: LINKEDIN

De acordo com Lucas Malamina (2018), a 4ª Revolução Industrial está ocorrendo e é preciso se adaptar as novidades. Atualmente, é preciso seguir o conceito de BI – Business Intelligence. Douglas Novato (2014) define o assunto (…) O termo Business Intelligence (BI), inteligência de negócios, refere-se ao processo de coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que oferecem suporte a gestão de negócios. É o conjunto de teorias, metodologias, processos, estruturas e tecnologias que transformam uma grande quantidade de dados brutos em informação útil para tomadas de decisões estratégicas. O BI está relacionado com as fases do PMI 2017 (Project Management Institute – Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos) (Figura 2), logo que, para se fazer os processos do conceito (coleta, organização, análise, compartilhamento e monitoramento de informações), é preciso seguir as fases do PMI 2017, que é o Guia do Gerenciamento de Projetos. As fases citadas pelo PMI 2017 são: Iniciação, Planejamento, Execução e Encerramento. O Bussiness Intelligence é a junção de dados de todas essas fases e a análise destes, para uma melhor tomada de decisão.

Segundo Douglas Novato (2014), o profissional nesse universo de “Business Intelligence” deve se atentar a alguns detalhes importantes para uma boa atuação. Buscar resultados da capacidade de detectar oportunidades de negócios e associar seus levantamentos numéricos a eventos de sucesso. Focar nas análises das necessidades e desejos dos clientes. E então, detectar as tendências e associá-las aos objetivos de seus clientes, promovendo seus produtos e serviços. Não há uma receita de bolo e nem uma garantia de que seus resultados serão satisfatórios, porém as boas práticas de BI reduzem os erros e possibilitam conhecer os padrões comportamentais dos clientes, o que é determinante na oferta de um produto.

A evolução da Internet mudou tudo. Se até então a aplicação deste conceito era a de levar informação a poucos colaboradores selecionados de uma empresa, para que fizessem uso em suas decisões. Hoje, a rede permite disponibilizar soluções de BI para um número maior de pessoas e passou a ser tratado como uma aplicação estratégica integrada, estando disponível através estações de trabalho e nos servidores da empresa.

E também como a maior aliada para a capitação de dados sobre os clientes, conseguindo detalhes preciosos com o monitoramento de mídias e redes sociais e do desempenho de SEO e propaganda online. E após a gestão dessa informação terá conclusões importantes para o desenvolvimento empresarial e para a elaboração de cenários. Tendo participação direta em decisões que promovam a competitividade.

Conclusão

Este post tem o intuito de mostrar que o gerenciamento de projetos irá passar por adequações nas empresas, percebendo as tendências da economia globalizada, em que a informação precisa chegar de forma rápida, precisa e abundante. O Gestor de Projetos precisar ter certas habilidades para alcançar o sucesso tão desejado, muitos pensam que somente saber se comunicar é o suficiente, mas não é. Não somente as grandes empresas, mas também as corporações de pequeno, médio porte necessitam de BI para auxiliá-las nas mais diferentes situações para a tomada de decisão, otimizar o trabalho da organização, reduzir custos, eliminar a duplicação de tarefas, permitir previsões de crescimento da empresa como um todo e contribuir para a elaboração de estratégias.

 

Referências

MALAMINA, Lucas (2 de Janeiro de 2018). Quarta revolução industrial e o Gestor de projetos. Disponível em: <https://pt.linkedin.com/pulse/quarta-revolu%C3%A7%C3%A3o-industrial-e-o-gestor-de-projetos-40-lucas&gt;. Acessado em 2 de setembro de 2018.

ESPINHA, Gil. O que é a Gestão de Projetos ? Entenda os conceitos e saiba como fazer !. Disponível em: <https://artia.com/blog/gestao-de-projetos-o-que-e-para-que-serve/#tecnicasdegestaodeprojetos&gt;. Acessado em 2 de setembro de 2018.

ALVES, Nadine (13 de Julho de 2017). 8 ferramentas para gerenciamento de projetos que você precisa conhecer. Disponível em: <https://constructapp.io/pt/ferramentas-para-gerenciamento-de-projetos/&gt;. Acessado em 2 de setembro de 2018.

NOVATO, Douglas (14 de Agosto de 2014). O que é o Business intelligence ?. Disponível em: <https://www.oficinadanet.com.br/post/13153-o-que-e-business-intelligence&gt;. Acessado em 2 de setembro de 2018.

ESPINHA, Gil. Série: “Como ser um gerente de projetos de sucesso”: aprenda como não perder prazos. Disponível em: <https://artia.com/blog/serie-como-ser-um-gerente-de-projetos-de-sucesso-aprenda-como-nao-perder-prazos/&gt;. Acessado em 25 de Setembro de 2018.

Project Management Institute – Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK), 6º Edição, Project Management Institute, Newtown Square, PA, EUA, 2017.

GUIMARÃES, Matheus. Etapas para o planejamento dos seus sonhos. In: UVAGPCLASS, Rio de Janeiro, 24/05/2018. Disponível em: <www.uvagpclass.wordpress.com/2018/05/24/5-etapas-para-o-planejamento-dos-seus-sonhos/>. Acessado em 9 de Setembro de 2018.

CALDAS, Nathalia. A evolução do gerenciamento de projetos no brasil e no mundo. In: UVAGPCLASS, Rio de Janeiro, 11/06/2018. Disponível em: <www.uvagpclass.wordpress.com/2018/06/11/a-evolucao-do-gerenciamento-de-projetos-no-brasil-e-no-mundo/comment-page-1/>. Acessado em 9 de setembro de 2018.

RODRIGUES, Jônatas (27 de Abril de 2011). As 4 revoluções industriais. Disponível em: <http://www.efetividade.blog.br/as-4-revolucoes-industriais/&gt;.  Acessado em 25 de setembro de 2018.

Anúncios