“Como descobrir se meu projeto é viável?” A análise financeira pode ser feita através de diversas ferramentas existentes no mercado atualmente. Existem umas mais simples e outras mais elaboradas. Pensando na praticidade e usabilidade do Excel, aqui neste post vamos falar da TIR (Taxa Interna de Retorno) e mostrar como ela pode te ajudar!

Ao estudar o Gerenciamento de Projetos, podemos tomar a conclusão de que a realização de um projeto, na maioria da vezes, não é algo simples. Por menor que seja, existirão perspectivas à serem observadas, como: o que será o projeto, à quem será destinado, quem o fará, como o fará, quanto custará, o quanto agregará, entre outras vertentes. Diante disso, podemos dizer que cada um destes pontos precisa ser minuciosamente detalhado e analisado, principalmente quando falamos de VIABILIDADE FINANCEIRA.

WhatsApp Image 2018-05-14 at 19.42.57
Ilustração de Análise de Viabilidade Financeira – Fonte: wrprates.com

Mas por que vamos destacar este ponto?

Bem, sabemos que para a elaboração e a mobilização de um projeto precisamos de recursos. Estes recursos custam dinheiro. E este dinheiro deve ser visto como um investimento que trará retornos satisfatórios para quem desembolsou fundos para a garantia do trabalho.

Assim, lembre-se que o dinheiro que temos hoje é mais valioso do que o dinheiro que receberemos amanhã, depois de amanhã, e daqui a cinco anos, justamente por causa da inflação.

Avaliar a viabilidade financeira de um projeto é importante para um investidor, patrocinador ou cliente pois deve existir uma razão para que ele deixe de aplicar este valor em outra fonte de investimento em detrimento da aplicação dos valores no projeto em questão. Afinal, o objetivo principal de qualquer empreendimento é gerar lucro, certo?

Para isto, neste post vamos falar especificamente de uma ferramenta muito útil para classificar projetos de investimento, que é a TIR – Taxa Interna de Retorno.

O conceito da TIR foi proposto por John Maynard Keynes (1883 — 1946), um economista britânico que teve grande influência na política econômica dos Estados Unidos e defendia o aperfeiçoamento do sistema capitalista de modo que se una o social (através do Estado) com os instintos do ganho individual (através da livre iniciativa privada).

Desde então, a TIR foi utilizada para igualar o valor de um investimento (valor presente) com os seus respectivos retornos futuros ou os fluxos de caixa gerados em cada período pós projeto. Ela vai significar a taxa de retorno de um projeto. E para analisar se este investimento é viável ou não, deve ser comparada com a Taxa Mínima de Atratividade (TMA) da empresa.

formula TIR
Cálculo Matemático VPL e utilização da TIR | Outubro, 2013 – Leandro Borges (Blog Luz)

OK. Mas o que é TMA? E Valor Presente?

A TMA vai corresponder ao mínimo que uma empresa ou um investidor se propõe a receber de ganhos naquele projeto. Esta, é determinada com base em diversas outras taxas que promovem impacto, como: a Taxa Referencial, Taxa de Juros a Longo Prazo, entre outros.

Além disso, outros componentes muito importantes são considerados para a determinação da TMA, que são:

  • Custo de Oportunidade – “Sacrifício de algo para obter alguma coisa” – Est
    WhatsApp Image 2018-05-14 at 19.44.31
    Ilustração de Riscos de um Projeto – Fonte: artia.com

    á relacionado às oportunidades que não são escolhidas em detrimento do investimento escolhido.

  • Risco do Negócio – Quanto maior o risco, mais retorno se é esperado do projeto e, consequentemente, maior deve ser a Taxa Mínima de Atratividade.

Já o Valor Presente, ou VPL (Valor Presente Líquido) é um método que vai trazer para a data zero (hoje) todos os fluxos de caixa do projeto de investimento e somá-los ao investimento inicial (negativo, pois representa uma saída do fluxo de caixa). Lembrando que estes fluxos de caixa trazidos para a data presente devem ser descontados de uma taxa. Mas fique tranquilo, veremos a aplicação destas ferramentas mais adiante!

Voltando na aplicação da TIR, “como vou saber se meu projeto é viável ou não”?

  1. Se a TIR deste projeto for MAIOR que a Taxa Mínima de Atratividade significa que o mesmo é viável e economicamente atrativo.
  2. Se a TIR do projeto ficar abaixo da Taxa Mínima de Atratividade o mesmo deve ser rejeitado.
  3. Se a TIR do projeto for igual a Taxa Mínima de Atratividade a decisão de seguir com o projeto fica por conta dos gestores/investidores, pois o investimento é indiferente.

 

Para efetuar a análise de viabilidade de um projeto deve-se, inicialmente, elaborar o fluxo de caixa que irá contemplar a expectativa de investimento inicial, bem como os resultados a serem obtidos a partir da efetivação daquele projeto. O investimento inicial deverá contemplar todas as despesas necessárias para a efetiva implantação do projeto que está sendo gerenciado. Já a expectativa de resultados será a diferença entre as receitas advindas daquele projeto e as despesas para sua manutenção (Post “Análise de Viabilidade – Taxa Interna de Retorno (TIR)” – disponível em https://uvagpclass.wordpress.com/2017/06/04/analise-de-viabilidade-taxa-interna-de-retorno-tir/).

Antes de exemplificar a utilização da ferramenta, vale lembrar que quanto mais minucioso é o fluxo de caixa, mais se aproximará da realidade e lembre-se que um erro muito comum é considerar apenas um investimento inicial, pois a estrutura de um projeto sempre se modifica e é preciso acompanhar e controlar as mudanças. O fluxo de caixa é a melhor representatividade para demonstrar o dinheiro que entra e sai pelo tempo (Post “Análise de Viabilidade – TIR” – disponível em https://uvagpclass.wordpress.com/2017/11/20/analise-de-viabilidade-tir/comment-page-1/#comment-1124).

Como nada melhor que a prática, utilizarei o Excel para exemplificar um caso de um projeto de investimento e entender como realizar a análise de viabilidade através da Taxa Interna de Retorno!

Seu diretor quer novos projetos de investimento. Ele comunica que está em estudos a criação de um aplicativo para produção de conteúdo de maneira mais ágil aos seus clientes e para otimizar o atendimento via web, de forma a oferecer um novo portfólio de produtos.

Estima-se que este projeto exige um investimento de R$103.000. Os fluxos de caixa esperados (após os impostos), estão descritos a seguir:

WhatsApp Image 2018-05-14 at 19.41.10
Exemplificação do Cálculo TIR em Excel – Fonte: Daniela Sanches

 

WhatsApp Image 2018-05-14 at 19.40.46
Exemplificação do Cálculo TIR em Excel com fórmula – Fonte: Daniela Sanches

 

Utilizando a taxa SELIC (taxa básica de juros) como base para a TMA desta empresa (que é a taxa mínima exigida para o aceite de um projeto) dentro do contexto brasileiro, temos o percentual de 6,5% em 14/05/2018. Pois bem, o que isso quer dizer?

Quer dizer que este projeto deve ser rejeitado pela empresa! Pois este cenário mostra que, se a empresa investisse este capital em títulos públicos, por exemplo, teria um retorno maior do que na realização deste projeto.

O mais viável seria, por tratar de um projeto estratégico para o negócio, a reavaliação dos custos deste projeto e as formas de financiamento.

Conclusões Finais

Este post teve como objetivo destacar a importância do uso de indicadores financeiros para o gerenciamento de projetos.

Percebemos que indicadores e gerenciamento trabalham de forma conjunta, uma vez que é necessário que o gestor tenha acesso às informações pertinentes ao projeto a fim de tomar decisões.

Diante do exemplo citado, podemos concluir que o gerenciamento de projetos vai muito além de gerenciar pessoas, tempo, escopo e qualidade. A gestão de um projeto deve estar relacionada à saúde financeira da empresa, pois estes elementos de mudança devem, além de garantir mais inovação, influenciar nos atingimentos dos objetivos estratégicos com a finalidade de garantir a perenidade e a lucratividade da organização.

 

Mas e aí, conseguiu entender a importância da TIR? Esperamos que este artigo tenha dado um empurrãozinho inicial para você quando for calcular a viabilidade de um novo investimento ou projeto.

 

Referências Bibliográficas

Bruno, Jennipher. Análise de Viabilidade – TIR. In: UVAGPCLASS, Rio de Janeiro, 20 de Novembro de 2017. Disponível em: <https://uvagpclass.wordpress.com/2017/11/20/analise-de-viabilidade-tir/>. acessado em: 05/2018.

Fabio, Manoel. Análise de Viabilidade – Taxa Interna de Retorno (TIR). In: UVAGPCLASS, Rio de Janeiro, 04 de Junho de 2017. Disponível em: <https://uvagpclass.wordpress.com/2017/06/04/analise-de-viabilidade-taxa-interna-de-retorno-tir/> Acessado em: 05/2018.

Wlademir. “O que é TMA (Taxa Mínima de Atratividade)?”. Disponível em <http://www.wrprates.com/o-que-e-tma-taxa-minima-de-atratividade/ > Acessado em 05/2018.

Freitas, Renata. “Entenda sobre a Taxa Mínima de Atratividade: o que é, quando usar e por que pensar em TMA na hora de investir”. Disponível em <https://www.treasy.com.br/blog/taxa-minima-de-atratividade-tma/&gt; Acessado em 05/2018.

Anúncios