Na atualidade a grande necessidade é manter as empresas competitivas em um mercado que a cada dia exige mais qualidade. A grande questão é como se manter competitivo e rentável nesse ambiente? Dentre tantas opções, por que implantar o Seis Sigma? 

Toda empresa visa o sucesso e, para isso, é de suma importância que todos processos estejam alinhados e com foco nos resultados de qualidade. A ferramenta six sigma ou Seis Sigma tem papel importante nas mudanças significativas que permitirão melhorias em processos, produtos e serviços oferecidos aos clientes.

O Seis Sigma teve sua origem em 1986, quando o engenheiro sênior e cientista da Divisão de Comunicações da Motorola, Bill Smith, precisou encontrar uma solução para as diversas reclamações sobre pedidos do setor de vendas. O grande objetivo era encontrar uma solução que melhorasse os processos, buscando eliminar os defeitos de produtos e serviços, resultando numa melhoria da qualidade e satisfação dos clientes.

Otimizar processos e produtos passou a ser  o grande foco e a motivação da ferramenta, pois dessa forma é possível atender as necessidades do cliente (interno ou externo). Para melhoria de processos é utilizado o ciclo DMAIC (Define, Measure, Analyze, Improve e Control) que visa estudar quais fatores mais afetam o processo, para então otimizá-lo com baixo investimento. O DMADV (Define, Measure, Analyze, Design e Verify), também conhecido como DFSS (Design for Six Sigma), é utilizado para redesenhar processos e produtos, que foca em otimizar o lançamento do produto e/ou processos de forma que não apresente defeitos.

Segundo Kwak (2006), ao implementar a filosofia Seis Sigma, em virtude da política interna ou da cultura organizacional, os conceitos e ferramentas básicas descritas pela metodologia podem sofrer mudanças ou adaptações. Essas mudanças servem para agregar valor dependendo de cada etapa do projeto. Vale ressaltar que os passos DMAIC não serão alterados.

Lean Six Sigma é um exemplo desse tipo de adaptação, pois ele propõe a utilização de ferramentas do Lean Manufacturing em conjunto com projetos Seis Sigma (Fairbanks, 2007)(Anderson, 2006)(Mika, 2006).  De acordo com Antony (2004), o sucesso do seis sigma é associado a aplicação de forma correta dos conceitos já estabelecidos. Ele alerta também que as adaptações precisam ser conduzidas com muito cuidado.

O gerenciamento de projetos serve como um auxílio à implantação da metodologia Seis Sigma, visto que ele permitirá enxergar melhor os riscos, delegar as responsabilidades da equipe e definir um plano de comunicação entre as áreas da empresa. Um projeto Seis Sigma possui, desde sua fase Definir, um contrato (charter) onde devem ser explicitados os principais envolvidos (stakeholders) e as metas almejadas (Joglekar, 2003).

O Seis Sigma é incorporado a gestão de projetos quando a sua premissa indispensável, o project charter, faz parte do início do projeto, mostrando assim que as boas práticas de gestão de projetos fazem parte da aplicação da metodologia. Porém, nas fases seguinte, a metodologia Seis Sigma não prevê um uso organizado e estruturado da ferramentas de gestão de projetos.

As duas metodologias citadas acima são baseadas no ciclo PDCA. Elas são compostas por cinco fases cada uma.

DMAIC

DMAIC é utilizado para melhorar processos de negócios já existentes. É uma metodologia dividida em cinco partes: Define, Measure, Analyze, Improve e Control.

  • Define (Definir): o problema é definido com base nos objetivos do projeto, no escopo e as etapas do projeto.
  • Measure (Medir): medir as relações de causa e efeito, para diminuir o problema e achar os defeitos principais.
  • Analyze (Analisar): os dados são analisados para identificar as causas das falhas e das oportunidades de melhoria.
  • Improve (Melhorar): a partir das analises de dados são realizadas as melhorias e optimização dos processos.
  • Control (Controlar): controlar os processos para assegurar que não haja nenhum desvio ou regressão do que foi implementado nas etapas anteriores.
WhatsApp Image 2018-03-18 at 14.15.53 (1)
Figura 1 – DMAIC / Fonte: http://bridgeconsulting.com.br/academy/six-sigma-na-pratica-otimizacao-que-reduz-custos/

 

DMADV (DFSS)

DMADV é utilizado para criação de novos produtos e processos. Também é conhecida como DFSS (Design For Six Sigma), e é dividida em cinco partes: Define, Measure, Analyze, Design e Verify.

  • Define (Definir): definição dos objetivos conciliados com a estratégia da empresa.
  • Measure (Medir): medir e identificar os riscos, capacidades do produto, capacidade de produção e definir as características de qualidade do produto.
  • Analyze (Analisar): analisar as alternativas dos futuros produtos e selecionar o melhor para ser desenvolvido.
  • Design (Elaborar): elaborar todos os detalhes do processo que será executado.
  • Verify (Verificar): onde é feita a verificação dos resultados reais ao que foi proposto no inicio.
WhatsApp Image 2018-03-18 at 14.15.53
Figura 2 – DMADV / Fonte: http://www.sixsigmadaily.com/what-is-dmadv/

Capacitar os funcionários é o primeiro passo para aplicar a filosofia Seis Sigma dentro de uma organização. Eles são os especialistas e responsáveis pelo sucesso do projeto. A graduação hierárquica se da com a seguinte forma:

 

WhatsApp Image 2018-03-18 at 14.15.53 (3)
Figura 3 – Hierarquia Six Sigma / Fonte: https://www.pmtrainingclass.com/wp-content/uploads/lean-six-sigma-belt-levels.png

O artigo “Gerenciamento de projetos aplicado a Projetos Seis Sigma: Um estudo
de caso.”,  realizou um estudo de caso onde analisou a gestão de projetos para implantação da metodologia Seis Sigma em uma empresa da área têxtil, que desenvolve projetos de Seis Sigma há quatro anos.

Para a utilização dos conceitos de Gerenciamento de Projetos, foi agregado ao time,
um profissional com experiência em Gestão de Projetos e formação de Green Belt em Seis Sigma, que promoveu o contato do time de Seis Sigma da empresa com as ferramentas de Gerenciamento de Projetos a serem utilizadas. O time pôde a partir desse momento, gerenciar a implementação das ações independentes em paralelo, bem como dar seqüência ao projeto e iniciar a fase Controlar, para ações já concluídas.

WhatsApp Image 2018-03-22 at 13.00.23
Figura 4 – O Seis Sigma no gerenciamento de projetos / Fonte: https://www.fm2s.com.br/o-que-focar-projeto-seis-sigma/

O objetivo do projeto visava o aumento da produtividade da área de controle e revisão da qualidade. No artigo os autores definiram as fases da seguinte forma:

Fase Definir

O líder do projeto é um Black Belt, um gerente responsável pelo processo de inspeção e dois Green Belts externos, sendo um com experiência em três projetos como gerente, além de recursos de apoio. O projeto necessita ser acompanhado por um Master Black Belt com larga experiência em projetos de melhoria. Seguindo os princípios da metodologia Seis Sigma, nesta fase, o charter projeto foi elaborado em conjunto com a diretoria da empresa, onde todos objetivos foram traçados com clareza e levantadas a restrições.

Fase Medir

Essa fase ocorre após a elaboração do projeto inicial, e é inciado o acompanhamento da produção, buscando à obtenção do mapa real do processo. Ou seja, nesta etapa ocorre o levantamento de indicadores.

Fase Analisar

Nessa etapa são realizadas reuniões para discutir os dados levantados na fase anterior, onde foi criado um mapa real do processo atual, tudo em conjunto com a equipe do Seis Sigma. Foram construídas e utilizadas nesta fase diversas ferramentas usualmente associadas com Seis Sigma, como FMEA (Failure Mode Effect Analysis), análise de processo e ferramentas estatísticas.

 

Benefícios

Os benefícios da implantação do six sigma podem ser encontrados na produção ou nas equipes de trabalho.

  • Redução dos custos;
  • Melhoria da qualidade e produtividade de produtos e serviços;
  • Aumento de clientes;
  • Eliminação de atividades que não agregam valor;
  • Maior envolvimento das equipes de trabalho;
  • Mudança de cultura;
  • Menor variação entres os processos.

 

Por fim, usar as ferramentas de gerenciamento de projetos durante a implementação das ações de melhorias possibilitou o acompanhamento de todos passos a serem seguidos nas diversas melhorias propostas, facilitando o gerenciamento do projeto.

Incorporar as práticas de gestão de projetos a ferramenta Seis Sigma, resulta em maior organização, previsibilidade e controle dos projetos. Em relação aos riscos, as práticas de gestão de projetos permitem identificar os problemas antes, evitando que os prazos sejam comprometidos e as devidas ações sejam tomadas caso necessário. Outro ponto positivo é que os problemas de comunicação entre as áreas da empresa são minimizados, devido ao alinhamento das ferramentas de gestão de projetos e o Seis Sigma.

Em suma, integrar o Seis Sigma com as boas práticas de gestão de projetos é, de certa forma, uma excelente maneira de alcançar qualidade dos processos e, consequentemente, melhorar os  resultados da empresa e a satisfação dos clientes internos e externos.

 

Referências Bibliográficas

ANTONY, F. Some pros and cons of Six Sigma: an academic perspective. The TQM Magazine. 2004, Vol. 16, pp. 303 – 306.

A busca pela excelência através do Seis Sigma. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/noticias/negocios/a-busca-pela-excelencia-atraves-do-seis-sigma/48524/ >, acessado em 15/03/2018.

AIMOLI, C. G. et al. Gerenciamento de projetos aplicado a Projetos Seis Sigma: Um estudo de caso. XV SIMPEP, 2008. São Paulo.

BARNEY, M. Centro da Qualidade, Segurança e Produtividade – QSP. Disponível em: <https://www.qsp.org.br/biblioteca/segunda_geracao.shtml>, acessado em 15/03/2018.

Bridge Academy. Six Sigma na prática: Otmização que reduz custos. Disponível em: <http://bridgeconsulting.com.br/academy/six-sigma-na-pratica-otimizacao-que-reduz-custos/>, acessado em 15/03/2018.

Escola EDTI. O que é six sigma? Disponível em: <http://www.escolaedti.com.br/o-que-e-o-six-sigma/>, acessado em 16/03/2018.

FAIRBANKS, C. B. Using Six Sigma and Lean Methodologies to Improve OR Throughput. AORN Journal, 86
(1), p73, 2007.

JOGLEKAR, A.M. 2003. Statistical methods for Six Sigma. 1st. Hoboken : John Wiley & Sons, 2003.

KWAK, Y.H. e ANBARI, F.T.; Benefits, obstacles, and future of six sigma approach. Technovation. 26, 2006,
pp. 708 – 715.

Six Sigma Daily. What is DMADV? Disponível em: <http://www.sixsigmadaily.com/what-is-dmadv/>, acessado em 16/03/2018.

Seis Sigma – O que é e como funciona. Disponível em: <https://pt.linkedin.com/pulse/seis-sigma-o-que-%C3%A9-e-como-funciona-alexsandro-bizarelli>, acessado em 17/03/2018.