Um grande pesadelo na área de TI é mensurar a qualidade do serviço em seus projetos e processos e designar pessoas aptas para executar tais tarefas e processos. O gerenciamento de Projetos, tem por sua vez, o objetivo de realizar o gerenciamento do andamento e a qualidade de todos os envolvidos, tarefa essa que não é simples, tampouco fácil, de se realizar.

Assim, surge a ideia de Remuneração variável baseada no mérito da execução e da qualidade de um projeto

Nesse post iremos tratar de implementar uma mudança de paradigma no setor de recursos humanos, caminhando junto com o projeto, movendo a remuneração variável do prêmio, como bônus de resultado, para a qualidade e habilidade na execução das tarefas. A remuneração a partir desse momento é baseada na eficiência.

O gerenciamento de projetos serve para, como o próprio nome já diz, gerenciar projetos e suas respectivas estruturas, andamentos e acompanhamento. Assim, para que possamos ter uma base, vamos entender o que é projeto.


1- O que é projeto?

Se buscarmos a definição de Projeto vamos encontrar muitas respostas, porém, segundo o PMI (Project Management Institute) projeto é:

“Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. Os projetos e as operações diferem, principalmente, no fato de que os projetos são temporários e exclusivos, enquanto as operações são contínuas e repetitivas.”

Podemos ver que projeto é um esforço temporário para suprir alguma demanda ou necessidade, seja ela criar um produto, realizar um serviço ou organizar um processo.

2- Gerenciando a Qualidade

Quando falamos em organizar um processo, é necessário que a equipe de projetos, junto com o seu gerente, defina parâmetros e metas, afim de seguir um planejamento e chegar a um resultado final, criando um projeto para tal necessidade (Guia PMBoK 5ª Edição, 2014)

Porém, ao invés de realizar a remuneração como bônus ao final do projeto, iremos utilizar a visão de remuneração por qualidade dentro do projeto, e a área do projeto, e o seu gerente, entra com um desafio a mais nesse quesito.

Suponhamos que os objetivos foram traçados, as metas foram definidas, temos um planejamento e um escopo, temos a equipe e os insumos necessários para isso, chegou a hora de gerenciar o projeto e a qualidade das tarefas.

WhatsApp Image 2018-03-20 at 15.20.49

Imagem 1 – Performance
Fonte: https://www.optidatacloud.com/blog/como-reduzir-custos-sem-perder-a-qualidade-no-setor-de-ti/

3- Mudança de Paradigma

A partir desse momento o gerente de projetos tem um desafio pela frente, não só o desafio de entregar o projeto, não só o desafio de atender ao prazo e ao cliente, mas o desafio de medir a qualidade do projeto em si afim de remunerar os envolvidos conforme o seu desempenho nas tarefas, além de gerenciar as tarefas e os envolvidos.

Para que seja possível que o projeto chegue com essa proposta para o Recursos Humanos é necessário que o projeto tenha em mãos os índices necessários para essa tarefa. É necessário um histórico de controle e eficiência dos empregados envolvidos, e uma ótima administração por parte do gerente do Projeto.

A partir desse momento começaremos a desenvolver a mudança de paradigma na área de TI e ver se realmente é uma mudança para melhor, entendendo a proposta como um todo e levando a diante essa ideia.

4- Entendendo a nova estrutura

Como funcionará a nova estrutura de remuneração por qualidade e eficiência? Vamos entender melhor essa nova estrutura:

Essa estrutura sugere que todos os envolvidos tenham um salário base, conforme a sua especificação técnica, como por exemplo:
Programador 1 recebe uma quantia, Programador 2 outra quantia, Gerente e Projetos recebe um valor, auxiliar de infraestrutura outro, e esses valores vão ser o salário base.

Digamos que recebemos um novo projeto, e o gerente de projetos monta a sua equipe, sua equipe composta por várias áreas técnicas, como programador, infraestrutura, analista de sistema entre outros, e o gerente de projetos coloca cada um em tarefas especificas na sua área para atender o objetivo final do projeto.

Conforme o projeto for avançando, o gerente vai medindo a qualidade e eficiência nas tarefas de cada envolvido, e ao final desse projeto aqueles que forem avaliados bem, que foram importantes ou que desempenharam um papel decisivo para o projeto vão ser remunerados com um bônus pela qualidade, definido pelo projeto e recursos humanos.

Assim, o trabalhador recebe o seu salário base e um bônus referente a qualidade e aos papeis desenvolvidos nas tarefas do projeto em questão.

Para isso é necessário que o gerente de projetos tenha um ótimo monitoramento e planejamento em mãos, além de uma equipe bem estruturada.

WhatsApp Image 2018-03-19 at 21.05.45

Imagem 2 – Mensurando Qualidade
Fonte: cargox

5- Mensurando a Qualidade

Para que essa nova estrutura funcione é necessário um trabalho árduo do setor de projetos da empresa. Para isso é necessário que o gerente de projetos tenha um ótimo monitoramento e planejamento em mãos, além de uma equipe bem estruturada.

Para mensurar a qualidade é necessário o gerente analisar três parâmetros específicos em cada fase do projeto, e esses parâmetros são:

  • Capacidade Técnica do usuário para as tarefas designadas.
  • Tempo de execução das tarefas e entrega nos prazos.
  • Feedback dos testes do produto gerado

Seguindo esses parâmetros, o primeiro passo é a classificação. Devemos classificar cada tarefa e cada envolvido para que possamos mensurar a qualidade do trabalho realizado. Devemos classificar cada tarefa com um grau de dificuldade, e cada envolvido com um grau de capacitação. Para conseguir mensurar a qualidade do serviço prestado em cada tarefa.

Após classificas as tarefas é hora de gerencia-las e começar a anotar e gerar analises de cada tarefa com cada envolvido, vendo se realmente a capacidade dele para determinada tarefa está certa, ou está a baixo ou acima do solicitado.

O segundo passo é controlar o tempo de execução das tarefas conforme o prazo de entrega, verificando a capacidade de entrega e de cumprir o prazo dos envolvidos na tarefa do projeto.

O terceiro e mais crítico é controlar o feedback dos testes dos produtos gerados das tarefas. Nesse controle precisamos analisar com cuidado se o produto gerado atende as necessidades, se o produto não tem erros, e se o produto foi bem estruturado. Essa analise mostrara a qualidade do responsável em atender a tarefa em um determinado prazo e com uma eficiência e qualidade no produto.

WhatsApp Image 2018-03-14 at 10.24.40 (1)
Imagem 2 – Controle de Qualidade
Fonte: https://www.fm2s.com.br/o-que-e-o-controle-da-qualidade/

Com esses três requisitos é possível realizar uma média de qualidade x eficiência para cada envolvido em cada área de atuação e medir também a sua importância e eficiência no projeto em questão, conseguindo remunerar cada responsável em cada área.

6- Como lidar com imprevistos e problemas nessa nova estrutura?

Nessa nova estrutura, conforme as tarefas vão sendo atendidas, o gerente vai vendo a capacidade dos envolvidos de suprir as demandas dadas a ele, verificando a capacidade das tarefas dadas ao projeto, para cumprir a meta e finalizar o projeto.

Assim, conforme o projeto for seguindo e chegando ao final, aqueles que forem atendendo as tarefas e demandas, vão receber mais e melhores tarefas a fim de alcançar o objetivo final do projeto. Já aqueles que não atendem as demandas e as tarefas, vão ser substituídos e realocados, colocando novos responsáveis qualificados para atender a demanda no tempo determinado.

Já que o a remuneração é baseada na qualidade, quando o responsável termina uma tarefa e recebe mais tarefas, consequentemente ele irá receber mais ao final do projeto.

Aquele responsável que começou como programador 1, mas durante o projeto começa a exercer papeis e tarefas de programador 2 ou 3, ao final, ele vai receber como 2 ou 3, conforme a remuneração por qualidade, porém, aquele que começa como 1 e só exerce a função de um ou não exerce e não cumpre as tarefas de programador 1, irá receber conforme o programador 1.

É possível também realizar a análise da oportunidade de contratar terceiros para suprir a demanda daqueles que internamente não conseguem suprir. Como os internos tem um salário base, a remuneração pela qualidade que o responsável iria receber passa a ser o valor para contratar um terceiro, para responder a minha demanda.

Sendo assim, os problemas que podem surgir em entregas e prazos, com produtos gerados, podem ser facilmente solucionados realocando pessoas e atendendo aos prazos.

7- Que melhorias essa nova estrutura me trará?

Essa nova estrutura só poderá acontecer se o projeto junto com o recursos humanos estiverem aptos para tal tarefa, e a resposta será positiva para a empresa.

Essa nova reestruturação fornece melhorias a empresa e a área técnica de TI, pois essa reestruturação começa a forçar os envolvidos a se capacitarem para tais tarefas no projeto, pois sem essa capacitação eles não serão usados, e se não forem usados não recebem a remuneração.

8- Conclusão

Sendo assim, vemos que o Gerenciamento de Projetos é uma ferramenta importante na área de T.I, sendo extremamente importante para gerir as atividades, definir o caminho a ser tomado e organizar as tarefas. Depois dessa nova reestruturação o quadro geral da empresa, tecnicamente falando, só tende a crescer, forçando aos envolvidos a crescerem ou ficarem para trás, trazendo melhorias e interações para a empresa segundo o resultado apresentado pelo gerente de projetos, ou pela área responsável pelo Gerenciamento de Projetos.

Essa é uma ideia gerada e trabalhada, sendo lançada para que seja feita uma análise e aprimoramento, onde a gerencia do projeto é a base fundamental, tendo o papel importantíssimo para gerir e gerenciar a qualidade.

Referências Bibliográficas:

Project Management Institute – A Guide to the Project Management Body of Knowledge – Disponível em : <http://www.pmipe.org.br/site/home/pagina/id/78/Gerenciamento-de-Projetos&gt;. Acessado em março de 2018.

Marques, Virgilio – O que é controle da qualidade? Qual sua função? Disponível em :<https://www.fm2s.com.br/o-que-e-o-controle-da-qualidade/;. Acessado em março de 2018.

Optdata, – Como reduzir custos sem perder qualidade no setor de T.I? Disponível em: <https://www.optidatacloud.com/blog/como-reduzir-custos-sem-perder-a-qualidade-no-setor-de-ti/;. Acessado em março de 2018

PMI – Project Management Istitute. Guia PMBOK: Um Guia para o Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos, Sexta edição. Pennsylvania: PMI,2017.

Anúncios