Com o “boom” da internet e da programação de Softwares, observou-se que os métodos tradicionais de gerenciamento de projetos não estavam acompanhando a velocidade das mudanças exigidas na indústria de tecnologia. Durante um projeto de desenvolvimento de Software é necessário flexibilidade, pois fatores estratégicos, comerciais e humanos tornam a atividade altamente complexa. Métodos Ágeis de desenvolvimento de software sugerem uma abordagem mais humanística com foco na entrega rápida e constante de software com valor de negócios.

Nesse Post iremos dar a ideia geral do que é a Metodologia Agile diante do cenário acima mencionado, explicando como ela surgiu, como realizar o planejamento, os benefícios da utilização da metodologia, sempre comparando-a com com as abordagens mais tradicionais do Gerenciamento de projetos.

O que é o método Ágil ou “Agile”?

O termo Agile tornou-se popular na indústria de tecnologia,  depois de um Manifesto chamado Manifesto for Agile Software Development. Este manifesto foi feito baseado na experiência de dezessete signatários, com valores e princípios derivados de algumas metodologias, como Scrum e Kanban, que serão melhor abordadas posteriormente.

O Agile software development descreve uma abordagem de desenvolvimento de Software onde os requerimentos e soluções evoluem através do esforço colaborativo de diferentes times da organização, diretamente com os clientes ou usuários finais. O planejamento é adaptável, o desenvolvimento vai evoluindo aos poucos, possuindo uma rápida entrega e melhoria contínua.

Qual as diferenças do método Agile para o método convencional de Gerenciamento de Projetos?

O PMBoK traz as principais linhas para que uma empresa implemente, de forma produtiva, fluxos para condução de projetos, propondo a integração dos seguintes processos: Integração, Escopo, Tempo, Custo, Qualidade, Recursos Humanos, Comunicações, Riscos, Aquisições e Partes Interessadas.

Em métodos tradicionais de gestão, entende-se que o produto só faz sentido quando é entregue em sua totalidade, e, por outro lado, em métodos ágeis um conjunto mínimo de funcionalidades já pode ser entregue para o cliente. Outro ponto importante é que no método ágil, nem sempre o cliente tem noção do custo total do produto, o que nos métodos tradicionais o valor é fechado junto com o escopo, não sendo previstas alterações significativas nesse quesito durante o andamento das ações. Referente aos fluxos de processo, os ágeis descartam a estrutura em silos, que são previstos nos fluxos de processo tradicionais, da mesma forma quem que reduz as passagens de “mãos”, com equipes enxutas e multidisciplinares.

Na Figura 1 abaixo, é possível ver que cada interação da metodologia Ágil é um “Mini Projeto”, que normalmente dura de 1 a 4 semanas, e inclui todas as fases para implementa-lo como: levantamento de recursos e requisitos, projeto, desenvolvimento de código, testes e documentação. Ao final de cada interação deve haver uma entrega ao cliente, que inclua um conjunto de novas funcionalidades. Após essa entrega, há um novo processo de comunicação com o cliente, e então são definidas quais deverão ser as novas entregas.

Figura 1 – Metodologia Ágil – http://metodologiaagil.com/wpcontent/uploads/2016/09/ciclo_desenvolvimento_agile_2.png

Como saber qual o melhor modelo para sua empresa?

Segundo o Pulse of Profession de 2017, divulgado pelo PMI, 71% das empresas afirmam utilizar algum tipo de abordagem Ágil em seus projetos, e nos últimos 12 meses, 1 a cada 5 projetos utilizam e tem sucesso no resultado. Para saber qual o melhor modelo, é importante entender quais as opções.

Modelo Scrum,  conforme Figura 2 abaixo, se baseia em três pilares: transparência, iteração (ou inspeção) e adaptação. Os projetos são divididos em ciclos (tipicamente mensais) chamados de Sprints, que representa um Time Box dentro do qual um conjunto de atividades deve ser executado.

 

WhatsApp Image 2018-03-20 at 23.47.29

Figura 2 – SCRUM the Framework – https://pt.linkedin.com/pulse/m%C3%A9todos-%C3%A1geis-scrum-xp-e-kanban-gustavo-sousa

O modelo de Programação extrema (do inglês eXtreme Programming), ou simplesmente XP, é utilizado com equipes pequenas e médias e que irão desenvolver softwares com requisitos vagos e em constante mudança. Para isso, adota a estratégia de constante acompanhamento e realização de vários pequenos ajustes durante o desenvolvimento. Os cinco valores fundamentais da metodologia XP são: comunicação, simplicidade, feedback, coragem e respeito. A partir desses valores, possui como princípios básicos: feedback rápido, presumir simplicidade, mudanças incrementais, abraçar mudanças e trabalho de qualidade.

XP incentiva o controle da qualidade como variável do projeto, pois o pequeno ganho de curto prazo na produtividade, ao diminuir qualidade, não é compensado por perdas (ou até impedimentos) a médio e longo prazo.

O modelo ágil Kanban é um termo de origem japonesa e significa literalmente “cartão” ou “sinalização”. Este é um conceito relacionado com a utilização de cartões, conforme Figura 3 abaixo, (post-it e outros) para indicar o andamento dos fluxos de produção em empresas de fabricação em série. Ele permite agilizar a entrega e a produção de peças. Pode ser empregado em indústrias montadoras, desde que o nível de produção não oscile muito.

 

WhatsApp Image 2018-03-20 at 23.53.33

Figura 3 – Modelo Ágil Kanban – https://pt.linkedin.com/pulse/m%C3%A9todos-%C3%A1geis-scrum-xp-e-kanban-gustavo-sousa

Quais são os aspectos Positivos?

Existem diversos aspectos positivos na utilização de gerenciamento de projetos de forma ”Agile”. Dentre eles, podemos citar:

  • Satisfação do cliente de forma rápida e assertiva na entrega;
  • Descoberta de erros em um estágio inicial, gerando um produto final mais satisfatório;
  • Ter a equipe e o cliente trabalhando e colaborando para uma meta em comum;
  • Busca da melhoria continua e fazendo uma reflexão constante de como tornar-se mais efetivo;
  • Eliminação de erros e confusões na comunicação através de interações continuas;
  • Redução de tempo de ciclo;
  • Rápida adaptação;
  • Entrega de um produto final de Qualidade.

Considerações Finais

O Post mostra a importância de entender-se o que é um gerenciamento de projetos utilizando a filosofia Agile, e suas diferentes metodologias, antes de aplica-lo em sua empresa. Projetos muito complexos e de longa duração talvez não sejam adequados para aplicação desta técnica, visto que o resultado pode ser negativo. Apesar do modelo ter sido desenvolvido para Indústria de Tecnologia, ele vem sendo adaptado para diferentes mercados e em sido absorvida de forma efetiva. A constante busca pela qualidade, satisfação do cliente, menor custo, faz com que modelo enxutos sejam aplicados.

Para futuros estudos, recomendo a pesquisa a respeito da filosofia Lean, que é frequentemente utilizada na Indústria, e também tem sido absorvida por outros setores de mercado.

Referências Bibliográficas

Bassi Filho, D. L. (2008). Experiências com desenvolvimento ágil. São Paulo: IME-USP.

PMI. (2017). Pulse of profession 2017 – Project Management Institute. Disponível em: <https://www.pmi.org/-/media/pmi/documents/public/pdf/learning/thought-leadership/pulse/pulse-of-the-profession-2017.pdf&gt;. Acesso em: 10 Mar 2018.

Smith, G. (2012). What does it take to become agile? Paper presented at PMI® Global Congress 2012—North America, Vancouver, British Columbia, Canada. Newtown Square, PA: Project Management Institute.

SOUZA, G. (2016). Métodos Ágeis – Scrum, XP e Kanban. Disponível em: <https://pt.linkedin.com/pulse/m%C3%A9todos-%C3%A1geis-scrum-xp-e-kanban-gustavo-sousa&gt;. Acesso em: 19 Mar 2018.

Anúncios