“Uma empresa só consegue sucesso, se os membros da instituição, fazem esse sucesso acontecer…”

Veja nesse post importância do reconhecimento dos liderados para a equipe atingir o topo da pirâmide de Maslow!

Projetos de sucesso são geralmente o resultado de um planejamento bem-sucedido e para que isso ocorra é necessário a colaboração e o talento dos membros da equipe, são esses colaboradores que trabalham de maneira ativa nas fases do projeto. Eles podem ser funcionários internos ou consultores externos, trabalhando no projeto em tempo integral ou parcial. As atividades envolvidas no ciclo de vida do projeto são conduzidas pela equipe e liderada pelo gerente de projeto. Muitos fatores determinam o sucesso do trabalho de uma equipe. O gerenciamento dos membros da equipe é um dos principais.

Gerenciar a equipe do projeto tem como finalidade acompanhar o desempenho da mesma, fornecer feedback, resolver problemas e coordenar possíveis mudanças para um resultado mais eficaz. Para que seja mais dinâmico é preciso delegar tarefas, acompanhar e monitorar as atividades para ter um pleno entendimento sobre o que acontece dentro do projeto. Confira abaixo pontos fundamentais do gerenciamento de uma equipe:

De acordo com PMBOK gerenciar a equipe do projeto requer entradas, utilização de ferramentas e saídas que podem ser melhor entendidas a seguir:

Entradas:

1 – Plano de gerenciamento dos recursos humanos do projeto.

O plano de gerenciamento do projeto, mais especificamente para os recursos humanos, se trata do processo de acompanhar o desempenho dos membros da equipe , fornecer feedbacks, resolver problemas e gerenciar mudanças para otimizar o desempenho do projeto.

2 – Designação de pessoal do projeto.

Cada pessoa deve ser designada a uma área na qual esta possa contribuir da melhor forma, sendo então a responsabilidade do líder do projeto designar a pessoa adequada para assumir as responsabilidades certas (que a pessoa possa ser capaz de executar da melhor forma).

3 – Avaliações do desempenho da equipe.

O feedback frequente quanto ao desempenho da equipe é de extrema importância para a continuidade do projeto, afinal, é ele quem determina se a equipe está indo na direção correta, e caso não esteja, é determinado os pontos a serem corrigidos.

4 – Registro de problemas.

No feedback também é possível perceber os principais problemas que estão ocorrendo, afinal, o gerente de projetos não consegue ter a absoluta certeza de todos os problemas recorrentes no projeto, por isso, a importância da comunicação com a equipe (feedback) para que todos os problemas registrados pelas pessoas que estão recebendo o retorno de desempenho possam ser apurados.

5 – Ativos de processos organizacionais.

Os ativos de processos organizacionais são os ativos relacionados aos processos da empresa que contribuem para o sucesso do projeto. Quanto maior o nível de maturidade da organização em gerenciamento de projetos, maior a contribuição dos seus ativos de processos organizacionais em seus projetos.

Exemplo:

  1. Planos formais ou não, políticas, diretrizes e procedimentos.
  2. Procedimentos de qualidade, auditorias, listas de verificação, instruções de trabalho, regras gerais em diversas áreas
  3. Requisitos de comunicação, gerenciamento de questões e defeitos, controles financeiros e tratamento de riscos, …

6 – Relatório sobre o desempenho do trabalho.

Os relatórios de desempenho do trabalho organizam e resumem as informações sobre o desempenho do trabalho e apresentam análises comparando o realizado com o planejado (linha de base). Eles informam a situação e o progresso no nível de detalhe requerido. O gerente de projeto deve usar seu poder de síntese, já que a maioria das partes interessadas, principalmente, os executivos não irão ler relatórios muito extensos.

Ferramentas:

As principais ferramentas que podem ser utilizadas para se gerenciar o capital humano na gestão de um projeto são:

Habilidades interpessoais, observação e conversa, avaliações do desempenho do projeto e gerenciamento de conflitos. Todas elas estão interligadas, começando com as habilidades interpessoais como empatia, evitar pré-julgamento e resiliência que servem como mecanismos importante na hora de se trabalhar com adversidades. Em seguida existe a observação e conversas para se relatar os principais pontos a serem melhorados para que as avaliações de desempenho possam ser realizada de forma correta, justa e honesta evitando assim conflitos. O gerenciamento de conflitos é um dos aspectos mais importantes em um projeto e algumas técnicas podem ser vistas abaixo:

  • Colaborar/resolver o problema: Incorporar diversos pontos de vista e opiniões que resulta no consenso e compromisso (requer atitude de troca e diálogo);
  •  Comprometer/reconciliar: (Negociação): Encontrar soluções que tragam alguma satisfação para os envolvidos (ganha-ganha);
  • Forçar/direcionar (Imposição): Forçar um ponto de vista em detrimento dos outros (ganha-perde);
  • Suavizar/acomodar (Panos quentes): Enfatizar as áreas de acordo e não as diferenças;
  • Recuar/evitar (Retirada): Postergar a entrada numa situação de conflito efetivo ou potencial e deixar para resolver mais tarde ou para que o problema seja resolvido por outros.

O objetivo de utilizar essas técnicas é minimizar ao máximo divergência pessoais e profissionais que venham a ocorrer, e caso estas ocorram, saber como conduzi-las e tratá-las.

Saídas:

Solicitações de Mudanças
Em quase todos os projetos é quase certa a existência de várias solicitações de mudança durante o projeto, no planejamento o gerente de projeto deve definir como as mudanças serão tratadas através do Controle Integrado de Mudanças (Fluxo). Durante o projeto, todas solicitações de mudanças devem ser documentadas no Registro das mudanças e devem ser aprovadas ou rejeitadas conforme Fluxo definido no planejamento (Controle Integrado de Mudanças).

Na execução, as solicitações de mudança aprovadas devem ser devidamente implementadas.
Na solicitação de mudanças, alguns pontos importantes são atualizados, como o plano de gerenciamento de projeto, os documentos do projeto, os ativos de processos organizacionais e fatores ambientais.

 

Um exemplo a respeito de como o gerente de projeto deve se atentar as questões humanas no projeto pode ser visto abaixo, a partir da utilização da pirâmide de Maslow.

Os gerentes de projetos precisam ser líderes eficazes ao longo de suas vidas. Conforme definido no PMBOK, liderança é “a capacidade de realizar o trabalho, concentrando os esforços de um grupo de pessoas para um objetivo comum e que lhes permita trabalhar como uma equipe”. E para que esta liderança seja implementada de forma eficaz, é necessário que o líder se preocupe em desenvolver sua equipe, com a finalidade de promover quem os auxilia a alcançar resultado. 

Segundo Maslow, todo indivíduo possui a capacidade e o potencial de se desenvolver e alcançar o estágio da auto realização, para isto, é necessário que todos os pontos em ordem sejam atingidos para que o próximo nível da pirâmide possa ser alcançado, conforme a Figura 1.

WhatsApp Image 2017-11-20 at 22.53.40

                  Figura 1: Pirâmide de Maslow

                  Fonte:  MOOD (2013)

O primeiro ponto no qual, líderes devem se preocupar em seus projetos, é se as necessidades fisiológicas estão sendo atendidas, para isto, Maslow diz que, na fisiologia, o indivíduo se preocupa com necessidades básicas do corpo, como: Comer, Beber, Sexo, Dormir e etc. Para Maslow, se este quesito não for satisfeito todos os outros não serão realizados, afinal trata-se da base da pirâmide. E o líder pode garantir que estes quesitos sejam atendidos, através de um salário justo que possa garantir todas as necessidades básicas.

O segundo aspecto, segurança, visa tanto a segurança física quanto a psicológica, com a finalidade de libertar o indivíduo do medo e da ansiedade, e para isto, são criadas regras, leis para que exista um certo controle a mudança das coisas. O líder, é a pessoa responsável por guiar o caminho do projeto, e para isto é necessário que ele se preocupe com o planejamento, as regras para que a conclusão do projeto possa ser atingida de forma eficaz, garantindo a segurança física e psicológicas de sua equipe.

WhatsApp Image 2017-10-30 at 11.04.12

                                                    Figura 2: Equipe do projeto

              Fonte: http://stakeholdernews.com.br/artigo/eficacia-equipe-projeto/

Relacionamento/Afeto – Neste nível, é buscado o amor conjugal e principalmente o pertencimento, ou seja, fazer parte do grupo para se sentir acolhido e aceito. O líder neste ponto tem que ser capaz de valorizar a sua equipe, respeitando a opinião de todos para o andamento do projeto, ou seja, todas as opiniões emitidas com finalidade de agregar valor ao projeto devem ser consideradas.

Autoestima – No ponto de autoestima, busca-se reconhecimento, respeito, ser respeitado e ser reconhecido, e para isto, é necessário que todos os níveis abaixo da pirâmide estejam satisfeitos, visto que eles não agem de forma independente. O líder de projeto tem que ser o principal agente motivado para o alcance do objetivo, e para que isto ocorra, é necessário que haja reconhecimento de todos os méritos realizados pela equipe.

Auto Realização – Segundo Maslow, este é o nível em que todos possuem condições de alcançar, se forem dadas as devidas condições, entretanto, Maslow complementa que dificilmente as pessoas chegam a este nível devido ao apego ao nível da segurança, o que dificulta a transição para outros níveis. Após a realização de todos os quatro princípios anteriores, este aparece com naturalidade, afinal, auto realização aparece acompanhada de automotivação.

Pode-se concluir que o líder em um projeto possui a maior responsabilidade quanto à gestão do capital humano, e para isto, é preciso atender necessidades básicas, garantir a segurança física e psicológica, fazer com que exista um pertencimento por parte da equipe e por último e não menos importante, motivar a sua equipe através de reconhecimento.

 

Referência Bibliográfica:

SAMPAIO, J. R. A gestão das pessoas e a motivação: O Maslow desconhecido. HSM Management, São Paulo, n. 25. out. 2005.

MASLOW, A. H. A Theory of Human Motivation. 1943. Disponível http://psychclassics.yorku.ca/Maslow/motivation.htm. Acesso em 29/10/2017.

MASLOW, A. Introdução à psicologia do ser. Rio de Janeiro: Eldorado, 1962.

BLOG MOOD. Pirâmide de Maslow e a teoria das necessidades. Disponível em: <http://www.mood.com.br/piramide-de-maslow/>. Acesso em: 29/10/2017

PMI. Um guia do conhecimento em gerenciamento de projetos. Guia  PMBOK® 5ª. Ed. – EUA: Project Management Institute , 2013.

Anúncios