Nesse post vamos falar um pouco sobre Cronograma Físico,que é uma ferramenta importantíssima para garantir o sucesso do planejamento de um empreendimento e evitar que o orçamento e os prazos saiam do controle. O cronograma físico financeiro é assim chamado porque leva em conta o planejamento dos custos de acordo com a etapa física (ou construída) da obra, verificando quanto dos recursos do orçamento foram usados em cada uma.

Por exemplo, quando se inicia uma obra ou um empreendimento o ideal é saber quando tempo os trabalhos vão durar e assim, quando vão acabar. Por isso, antes de colocar a mão na massa o ideal é planejar, e esse planejamento leva o nome de Cronograma Físico. Nele há detalhadamente os serviços que serão utilizados, a mão-de-obra, os gastos, tempo, entre outras coisas. Afinal, na crise que o país se encontra, ninguém quer perder prazos, tempo e principalmente, dinheiro.

Mas como surgiu essa brilhante ideia de organizar todas as atividades do seu empreendimento afim de obter um maior controle de prazo, custos e recursos?

O Cronograma, também conhecido por diagrama de Gantt, foi desenvolvido no princípio do século XX pelo engenheiro mecânico norte-americano Henry Laurence Gantt. Em 1903, Gantt apresentou os pressupostos que sustentariam o desenvolvimento do gráfico de Gantt, entitulado “A graphical daily balance in manufacturing”.

Simplificando, basicamente o gráfico de Gantt é um gráfico de barras que serve para ilustrar a cronologia de qualquer projeto com datas de inicio e fim das atividades inclusas no projeto. Neste tipo de diagrama, cada linha indica uma tarefa ou atividade, e as colunas verticais indicam o tempo, dividido em períodos (e em datas). A duração da tarefa é então especificada com uma barra abrangendo o período correspondente para tal.

Essa programação organizada, usando o exemplo da obra, permite que o construtor compre ou contrate materiais, mão de obra e equipamentos na hora certa. Se ele fizer isso depois do momento ideal, a obra atrasa. Como também se fizer antes do tempo, pode perder materiais no estoque ou pagar mão de obra e equipamentos que acabam ficando parados, sem trabalho. Mas não somente isso, o conceito baseia-se em organizar de forma detalhada as datas de entrega de determinada operação, bem como desempenho, gastos, atrasos, mão de obra necessária, compra de material, antecipação de problemas, entre outras informações. Um cronograma físico-financeiro bem elaborado garante facilidade na realização das tarefas da empresa e torna-se uma ótima ferramenta para auxiliar a organização no alcance de seus objetivos.

O cronograma mostra, em uma linha do tempo, o começo e o fim de cada uma das fases ou atividades da obra. A qualquer momento, portanto, é possível verificar com rapidez o andamento das diversas frentes de serviço. Assim é possível definir prioridades e concentrar o foco nas equipes que eventualmente estejam mais atrasadas em relação às demais. O cronograma também ajuda a planejar as compras de produtos e materiais de construção, reduzindo estoques.

WhatsApp Image 2017-11-02 at 00.19.42Equipe de Obra-PINIweb

Listaremos a seguir 4 pessoa para a criação de um Cronograma Físico. Contudo, ressalto que 4 passos para se criar um cronograma são uma análise de pontos básicos de extrema importância para a sua criação, e que as etapas são inúmeras Possivelmente o seu cronograma nunca atenderá todas as frentes necessárias, sendo assim você deverá criar mecanismos auxiliares para buscar atender os pontos fora da curva e obter o pleno atendimento.

1° Passo: Definir as Atividades.

O primeiro passo é definir quais atividades da obra devem ser abordadas no cronograma, por importância de resultado, hierarquizando quais são as fundamentais para o seu empreendimento, quais demandam mais atenção, quais menos.

Uso de Software?

Sim, você pode utilizar ferramentas para agilizar e facilitar seu Cronograma. Por exemplo o Excel, Ms Project, entre outros. Isso depende do tamanho do seu empreendimento, do tempo hábil que terá disponível para gerenciar e sua vontade.

2° Etapa – As Atividades e suas relações.

Essa etapa diz respeito à sequência. É nessa hora que você precisa pensar em quais atividades do seu empreendimento dependem de alguma forma de outra(s) para serem feitas. Nesta etapa é importantíssimo o estudo de mão de obra para programação das possíveis quantidades de frentes de trabalho.

Veja como um exemplo abaixo:

  • Fim com o início: são atividades que se iniciam após o fim de outras;
  • Início com início: atividades que devem ser iniciadas juntas;
  • Fim com fim: atividades que precisam ser finalizadas juntas;
  • Atividades que demandam mais tempo: antecipe quais atividades precisam de mais tempo para serem realizadas.

3° Etapa – Tempo.

Agora é a hora de dar mais um passo à frente colocando quanto tempo seu empreendimento demorará. Boas dicas para fazer essa análise é se basear em projetos anteriores similares, mas se você ainda os não teve, vale procurar ajuda de um especialista ou usar dados ao seu favor, como os números. Por exemplo: se para colocar piso em uma sala de 300m² levou 10 dias, para uma de 150m² você precisará de 5. Mais mão-de-obra requer um tempo menor para conclusão, ou até mesmo clima ou horário de carga e descarga de caminhões.

4° Etapa – Análise geral.

O principal objetivo, como já relatamos acima, é determinar prazos e metas financeiras para que eles sejam cumpridos, portanto de nada adianta se seu cronograma não estiver de acordo com a realidade. Quanto mais se planeja, mais fácil fica de prever cenários e encontrar padrões. Uma forma de analisar esses dados seria caso houvesse uma experiência anterior com a mesma equipe equiparar o tempo médio de execução de determinada atividade e assim dizer se o cronograma está de acordo com a realidade ou não. Dessa forma o cronograma fica cada vez mais inteligente e adaptado à realidade e se houver necessidade de modificar algum item, é fácil analisar e verificar onde são necessárias mudanças.

Para tentar não ser pego de surpresa, não existe coisa melhor do que pensar e planejar antes, concorda? Quando você está um passo a frente você consegue ver com mais clareza os próximos passos que precisam ser dados , adiados ou adiantados, até mesmo os que podem ser mudados. O cronograma físico-financeiro tem essa função. É entender o cenário. Com ele ainda é possível planejar melhor o dinheiro retirado do seu cofrinho, sabendo se é o suficiente ou precisará de uma poupança prévia. Afinal, “obra parada não vale nada, ou vale quase nada”. Sentiu o peso da avaliação e decisão? Eu senti, então mãos a obra.

 

Bibliografia:

Portal IBC. “Conheça as vantagens de fazer um cronograma físico-financeiro em projetos.” Disponível em: http://www.ibccoaching.com.br/portal/conheca-as-vantagens-de-fazer-um-cronograma-fisico-financeiro-em-projetos/. Acesso: 31/10/2017.

Renato Faria. Equipe de Obra. “Cronograma físico financeiro.” Disponível em: http://equipedeobra.pini.com.br/construcao-reforma/35/cronograma-fisico-financeiro-213994-1.aspx. Acesso em: 29/10/2017.

Sienge. “CRONOGRAMA FÍSICO-FINANCEIRO: FERRAMENTA CRUCIAL PARA O SUCESSO DA GESTÃO DE OBRA”. Disponível em: https://www.sienge.com.br/blog/cronograma-fisico-financeiro-gestao-de-obra/. Acesso: 31/10/2017.

Trabalho Acadêmico, “Título: A utilização dos cronogramas como ferramenta de gestão da engenharia de planejamento.” Disponível em: http://www.ietec.com.br/clipping/2015/boletim/2016/janeiro/gp-jan-utilizacao-cronogramas-ferramenta-gestao-engenharia-planejamento.pdf. Acesso: 1/11/2017.

Anúncios