Descubra como essa poderosa ferramenta de Gestão da Qualidade pode auxiliar a Gestão de Projetos e até mesmo na Análise de Riscos de um Projeto.

O Diagrama de Ishikawa, também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama Espinha-de-peixe, foi originalmente proposto pelo engenheiro químico Kaoru Ishikawa em 1943 e o usava em ambientes industriais para verificar a dispersão na qualidade dos produtos e processos. É uma ferramenta gráfica utilizada por diversos setores e empresas para o gerenciamento e controle da qualidade.

Dessa forma, o diagrama faz parte das sete ferramentas básicas da qualidade, conjunto de técnicas gráficas usadas largamente na análise, investigação, controle e solução de problemas relacionados à qualidade.

Quais são as vantagens da sua utilização?

  • Visualizar as causas principais e secundárias de um problema (efeito);
  • Amplia a visão das possíveis causas de um problema, enxergando-o de maneira mais sistêmica e abrangente;
  • Identifica soluções, levantando os recursos disponíveis pela empresa;
  • Gera melhorias nos processos.

WhatsApp Image 2017-10-26 at 13.11.08

Figura 1 – Análise do problema / Fonte:  Wanderson Monteiro 2015

Sua composição leva em consideração de que as causas dos problemas podem ser classificadas em 6 tipos diferentes de causas principais que afetam os processos como Método, Máquina, Medida, Meio Ambiente, Mão-de-Obra, Material( 6M’s).

Vejamos então o significado de cada M:

Método – É método utilizado para executar o trabalho ou um procedimento.

Matéria-prima – A matéria prima utilizada no trabalho que pode ser a causa de problemas.

Mão – de – obra – A pressa, imprudência ou mesmo a falta de qualificação podem ser a causa de muitos problemas.

Máquinas – Muitos problemas são derivados de falhas de máquinas. Isto pode ser causado pela inexistência de manutenção preventiva regular ou mesmo por utilização de forma inadequada.

Medida – Qualquer decisão tomada anteriormente pode alterar o processo e ser a causa do problema.

Meio Ambiente – O ambiente pode favorecer a ocorrências de problemas, está relacionada neste contexto a poluição, poeira, calor, falta de espaço, etc.

WhatsApp Image 2017-10-26 at 13.12.26

Figura 2 – Os 6 M’s / Fonte: Arruda Consultoria

Esta ferramenta se caracteriza como um instrumento para se aplicar no controle da qualidade, aplicável em atividades diversas, de modo que contribui na identificação de desvios no fluxo logístico, observando uma possível existência e localização dos gargalos na organização em que se aplicar a ferramenta da análise da espinha de peixe (ISHIKAWA, 1993).

Porque usar o Diagrama de Ishikawa na Gestão de Projetos?

É uma ferramenta muito importante para identificar a causa raiz de um problema. Embora o desenvolvimento deste diagrama seja um pouco demorado, os benefícios são enormes. Esse diagrama ajuda a remover a causa raiz do problema e desenvolver um entendimento entre os membros da equipe, fazendo com que todos fiquem a par dos acontecimentos e trabalhem juntos por um mesmo propósito.

Como se faz um Diagrama de Ishikawa?

Definir o problema

O primeiro passo é definir um problema, no entanto defina o problema de forma objetiva e em termos de qualidade que possa ser mensurável, é importante ter uma base estatística, para que se possa comprovar que o problema existe e que as suas consequências são significativas para a organização.

Para que o problema seja bem definido devemos utilizar duas técnicas importantíssimas, Brainstorming  e os 5 porquês.

Brainstorming

A técnica de brainstorming é muito útil para a elaboração do diagrama, especificamente na identificação de possíveis causas. Brainstorming (Tempestade de ideias) significa reunir um grupo de pessoas e iniciar uma sessão onde todos os participantes possam dar suas sugestões conforme as ideias vão surgindo em suas mentes.

Todos são instigados e encorajados a participar e contribuir, as sugestões e ideias são anotadas assim que são faladas e só depois avaliadas e discutidas mais profundamente. Todos devem falar e “soltar” suas ideias rapidamente, sem se preocuparem muito se a ideia é válida ou viável.

5 porquês

Outra técnica que ajuda na identificação das possíveis causas de um problema é a técnica dos 5 porquês. Esta técnica foi inicialmente desenvolvida e usada pela Toyota na indústria automotiva conforme as metodologias de qualidade evoluíam naquela época.

Nesta técnica, a pessoa olha para um problema e pergunta: “Por quê?”. Em seguida, pega a resposta e pergunta novamente “por quê?”, sucessivamente durante 5 vezes, veja no exemplo a seguir:

Exemplo – Radiador do Carro

Definição do Problema: Lâmpada de temperatura no painel acendeu

  • Por quê? Porque o motor esquentou;
  • Por quê? Porque o nível de água do radiador estava baixo;
  • Por quê? Porque a água pode ter vazado por algum lugar;
  • Por quê? Porque há uma pequena trinca no radiador que permite a perda de água;
  • Por quê? Porque há uma semana, na estrada uma pedra pequena se soltou do asfalto e fez um pequeno dano na proteção do radiador, atingindo o mesmo.

 

Criar a espinha de peixe e marcar o problema que será analisado

Faça um traço na horizontal e marque a direita deste traço o problema que foi definido, em perpendicular a este traço, aplique os 6M’s. Entretanto nem todos os processos ou problemas utilizam-se de todos esses fatores, assim é preciso avaliar quais deles estão presentes ou são importantes para a execução.

WhatsApp Image 2017-10-26 at 13.12.44Figura 3 – Montagem do diagrama / Fonte: Comunicação e Tendência 

 

Reúna a equipe

Este é o momento de gerar um brainstorming sobre o problema levando em consideração a estrutura dos 6M’s. É interessante participar deste brainstorming pessoas que estão relacionadas com o problema e de outras áreas, com diferentes perspectivas que agregam valor neste momento.

Para dicas de como promover um brainstorming de sucesso confira os posts relacionados:

 A importância do Brainstorming para o Gerenciamento de Projetos nas Organizações

Brainstorming para tomada de decisão

WhatsApp Image 2017-10-26 at 13.11.37Figura 4 – Brainstorming como uma ferramenta de sucesso / Fonte: Fast Company

 

Analise as causas e fatores atrelados a estas e planeje ações

Faça uma análise das causas de forma a detectar causas que impactam mais no problema e quais seriam as soluções propostas. Após isto, planeje um plano de ações definindo os responsáveis e o prazo para cada ação.

Obs.: É importante salientar que estratificações desnecessárias comprometem a qualidade do diagrama, diminuindo a sua eficácia, por isso, deve-se utilizar somente os dados estritamente necessários para o processo.

WhatsApp Image 2017-10-26 at 13.12.03 Figura 5 – Diagrama pronto com base nos 6 M’s / Fonte: Ferramentas Administrativas 2015

 

Conclusões

O diagrama de Ishikawa pode ser aplicado a qualquer área de trabalho, desde a gestão estratégica até o trabalho de um estagiário, tudo é uma questão de aplicação da ferramenta.

Em linhas gerais, o diagrama de espinha de peixe é uma das mais importantes fermentas da qualidade, por permitir o agrupamento, sua fácil visualização e interpretação das mais variadas causas de um mesmo problema. Dessa forma, é uma ferramenta altamente reconhecida por engenheiros, economistas e administradores de todo o mundo, contribuindo para o aperfeiçoamento de processos e do trabalho em equipe.

Na área de projetos, há vários livros e benchmarkings que apontam causas comuns de problemas, cabendo a cada empresa avaliar seu próprio cenário e aplicar soluções já existentes para otimizá-los.

 

Referências

Msc. Sarquis, Antônio Carlos. “Ferramentas da Qualidade – Não Estatísticas” –  2017.2.

ISHIKAWA, K. Controle de qualidade total: à maneira japonesa. Rio de Janeiro: Campos, 1993.

Guia do PMBOK , 5° edição, 2011, PMI.

Exemplo dos 5 porquês – Disponível em: <https://www.citisystems.com.br/5-porques-causa-raiz/# > Acesso em 20/10/2017.

 

Anúncios