A sua empresa sabe como aproveitar as oportunidades do mercado? Sabe gerenciar os projetos minimizando os riscos externos e internos? E qual foi a última vez que você teve que tomar uma decisão importante?

Provavelmente você deve ter pensado muito, pois com toda certeza essa não é uma decisão das mais fáceis.

Lembrou?

Provavelmente você teve que pensar na sua vida de forma macro, pesar todos os prós e contras e avaliar como isso impactaria a sua vida e a das pessoas mais próximas de você no curto e longo prazo, não é?

E com essa análise mais aprofundada você deve ter ficado mais seguro do que estava antes, não é?

Então, o mesmo acontece nas empresas de todos os portes, e em todos os lugares do mundo.

Qualquer empresa antes de dar um passo importante precisa avaliar a situação do negócio e o cenário em que ele está inserido de forma ampla, para buscar entender qual é o melhor caminho a seguir.

E para isso são usadas diversas ferramentas de planejamento estratégico. Talvez a principal delas seja a Análise SWOT, uma das ferramentas mais utilizada no mundo corporativo no gerenciamento de riscos de um projeto.

 

WhatsApp Image 2017-09-04 at 20.06.41
Análise SWOT / Fonte: Shutterstock

 

Mas, o que é a Análise SWOT?

A análise SWOT estuda a competitividade de uma organização segundo quatro variáveis: Strengths (Forças), Weakness (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças).

Através destas quatro variáveis, poderá fazer-se a inventariação das forças e fraquezas da empresa, das oportunidades e ameaças do meio em que a empresa atua. (RODRIGUES, et al., 2005)

Também conhecida no Brasil como análise FOFA, a matriz SWOT, de uma forma bem clara para se explicar, é uma análise pautada no equilíbrio entre o ambiente interno e o externo de uma empresa.

Essa análise foi criada por Kenneth Andrews e Roland Cristensen, professores da Harvard Business School, e rapidamente se transformou em um método utilizado pela principais empresas do mundo na hora de elaborar suas estratégias. (RODRIGUES, et al., 2005)

Também utilizada na análise de novos projetos, consiste na realização de um diagnóstico completo sobre o negócio e o ambiente que o cerca. Desta forma o dirigente tem um maior embasamento para formular suas estratégias de gestão e marketing de forma segura.

O resultado final da análise fornece uma matriz chamada Matriz SWOT, que ajuda a identificar os principais fatores internos a serem ajustados e os fatores externos que merecem uma maior atenção.

 

Para que Serve?

Como já explicado anteriormente, ela é um mecanismo que reúne ameaças e oportunidades, dando embasamento para a melhor tomada de decisão estratégica da empresa.

Segundo palavras de Porter, “Estratégia é a criação de uma posição única, distintiva e valiosa que conjuga um conjunto de atividades da organização” (PORTER, 1996, p.75).

E de acordo com Pearson, “Estratégia não é uma técnica, mas uma maneira de gerenciar o negócio de acordo com a perspectiva e o entendimento e estratégico.”

Desta forma, podemos observar como uma estratégia bem definida e clara contribui para o crescimento da empresa.

E esse embasamento no caso da Matriz SWOT, se dá através de um diagnóstico completo sobre a empresa, o que reduz possíveis riscos na hora de tomar uma decisão importante, como explorar novos mercados, lançar um novo produto no mercado ou mesmo criar novas estratégias de vendas.

Porque sabemos que uma decisão tomada de forma precipitada ou mal feita pode ocasionar sérios problemas para qualquer empresa.

Ela busca ajudar a empresa das seguintes formas:

  • Dar maior segurança na tomada de decisões, conhecer a fundo o cenário atual do mercado em que atua compreender a posição da empresa perante os concorrentes
  • Entender melhor como a concorrência trabalha
  • Antecipar movimentos estratégicos externos
  • Indicar alternativas de ação.

 

WhatsApp Image 2017-09-04 at 20.06.45
Quem deve fazer a Matriz SWOT? / Fonte: Shutterstock

 

Quem deve fazer a análise SWOT?

Depende do porte da empresa e se o gestor classifica como necessária ou não a análise.

Para negócios de médio e grande porte é extremamente importante devido toda a complexidade que o mercado competitivo.

Geralmente quem faz essa análise é o próprio gestor e sua equipe, ou profissionais de marketing ou especialistas em planejamento de estratégias.

Normalmente os gestores possuem uma visão global do negócio, mas são os especialistas de cada área que conhecem de perto, os desafios e as necessidades a serem supridas.

Participar de um processo estratégico como o SWOT é essencial para despertar um maior engajamento dos colaboradores aos objetivos de mercado da empresa.

 

Características da Análise SWOT

No seu desenvolvimento a análise SWOT divide-se em dois ambientes: o interno e o externo.

O primeiro, o interno, se refere à organização em si e conta com as forças e fraquezas que a mesma possui.

Elas serão os seus pontos de destaque e fracos em relação a recursos, expertise, experiência e habilidades.

Já o segundo, o externo, refere-se a questões externas a empresa, questões que estão fora do controle da empresa.

Essas são as oportunidades e ameaças, serão as previsões e projeções do futuro que de alguma forma estão ligadas direta ou indiretamente aos fatores externos e com o atual momento da empresa.

Podemos definir um pouco cada ponto como:

 

Forças

A força está relacionada com as vantagens que sua empresa possui perante a concorrência. Pode-se dizer que são as aptidões mais fortes de sua empresa. Por exemplo: Quais as suas melhores atividades? Quais seus melhores recursos? Qual é o nível de engajamento do seus clientes?

O principal ponto é em relação às vantagens competitiva que tais forças trazem para o negócio. Quanto mais vantagem em relação à concorrência ela trouxer, mais relevante ela será para a análise SWOT.

 

Fraquezas

As fraquezas são os pontos ou processos que prejudicam de alguma forma o andamento do negócio. É de fundamental importância haver sinceridade e autocrítica nessa etapa da análise. Para isso se avalia alguns pontos como: A mão-de-obra é capacitada? Qual parte do processo há falhas? Porque a concorrência foi escolhida? Porque o engajamento não está como o planejado?

As fraquezas encontradas precisam ser examinadas e observadas de forma isolada e conjunta. Para que seja possível solucioná-las. Se não for possível em um primeiro momento anulá-las é preciso ao menos criar métodos para minimizar os seus efeitos para torná-las menos prejudicial ao negócio.

 

Oportunidades

São forças externas que influenciam de forma positiva o negócio. Não se têm controle sobre essas forças, pelo fato de elas atuarem de diversas formas, como: Mudanças política ou econômica do governo, alterações de tributos, ampliação do crédito ao consumidor, dentre outras.

Porém pode ser estudado e planejado para tentar prever esses possíveis acontecimentos e logicamente se antecipar em relação a concorrência.

 

Ameaças

Ao contrário das oportunidades, as ameaças são forças externas que influenciam de forma negativa o negócio.

Devem ser tratadas com todo o cuidado e cautela, pois elas podem prejudicar não só o planejamento e o funcionamento da empresa, mas também seus resultados e objetivos a curto e longo prazo.

 

Conclusão

Desta forma podemos observar o quanto uma Matriz SWOT bem elaborada pode auxiliar sua empresa a identificar os riscos do mercado e encontrar novas oportunidades de crescimento. O profissional responsável pela gestão de projetos da empresa através dessa ferramenta poderá desenvolver um trabalho mais real e menos propenso a riscos.

 

Referências Bibliográficas:

RODRIGUES, Jorge Nascimento; et al. 50 Gurus Para o Século XXI. 1. ed. Lisboa: Centro Atlântico.PT, 2005.

PORTER, M. What is estrategy? Harvard Business Review, nov.- dec. 1996.

PEARSON, G.J. Strategic thinking. New York: Prentice Hall, 1990.

Anúncios