Para atingir as metas pré estabelecidas bem como obter a satisfação dos steakholders, podemos utilizar de técnicas de objetivos de desempenho para chegarmos no propósito final. Desta forma, podemos observar através deste post detalhes de cada etapa desta ferramenta para uma melhor operação produtiva.

O surgimento da gestão de desempenho deu-se após o início dos anos 1900 no contexto de administração científica proposta por Taylor. Nesta época, o desempenho das pessoas era medido com base nos padrões de produtividade, tempo e qualidade. Após a primeira guerra mundial, passou-se a medir a capacidade de realização. Em 1954, surgiu a administração por objetivos onde tinha como propósito principal o desenvolvimento do trabalho interno da produção tendo como característica: mudanças ambientais, definição dos objetivos, criação de oportunidades, desenvolvimento pessoal, descentralização administrativa, multiplicidade de objetivos, autocontrole, autoridade e liderança.

Segundo Slack, foi desenvolvido por Hayes e Wheelwright, o modelo de quatro estágios. O mesmo consiste na progressão dos papéis na organização elaborando seus propósitos ou aspirações.

Estágio 1 – Neutralidade interna

Produção objetiva para se tornar mais eficaz e mitigar erros.

Estágio 2 – Neutralidade externa

Comparação com empresas similares e realização de benchmarking.

Estágio 3 – Apoio interno

Desenvolver os recursos da produção para atingir seus objetivos estratégicos.

Estágio 4 – Apoio externo

Produção inovadora, criativa e proativa, se antecipando a possíveis mudanças de mercado.

WhatsApp Image 2017-09-01 at 17.40.14 (1)

Figura 1: Modelo de 4 estágio da contribuição de operações. Fonte: https://www.bing.com/images/search?view=detailV2&ccid=vRyhQ%2bNX&id=9EB074F4C4B18BC7DB2A70A0099070B30FC0D892&thid=OIP.vRyhQ-NXn3HDH0cZJsImpwEgDY&q=4+est%c3%a1gio+da+contribui%c3%a7%c3%a3o+de+opera%c3%a7%c3%b5es+hayes&simid=608047266343552608&selectedIndex=2&ajaxhist=0

Na Figura 1, podemos observar os quatro estágios de contribuição da produção listados acima bem como suas principais características.

Com a globalização econômica, constatou-se o aumento da competitividade nas organizações e para identificar se a empresa é bem-sucedida ou não, faz-se necessário a elaboração dos objetivos de desempenho específicos para que com os mesmos seja possível mensurar o comportamento da empresa diante ao mercado.

Qualidade – Executar ações da maneira mais precisa possível. Ou seja, buscar menos desperdício, em menos tempo e executar a tarefa para que o resultado final esteja de acordo com o esperado pelo cliente. Desta forma, irá mitigar o retrabalho, o gasto de esforços e dinheiro. Através da qualidade pode-se conseguir:

– Satisfação dos clientes externos e internos

– Redução de custos

– Aumento da confiabilidade

Confiabilidade – Atender adequadamente aos prazos previamente acordados com os clientes, mantendo um compromisso com os mesmos. Quanto maior o índice de cumprimento de prazos, mais confiável para os clientes a empresa se tornará. Confiabilidade resulta em:

– Economia de tempo

– Economia de dinheiro

– Estabilidade

Custo – Alta utilização de recursos. Manter seus custos baixos de produção atendendo os objetivos previamente definidos. Assim, quanto menor o custo de produção pode gerar a redução dos preços para o consumidor e ocasionar maior lucratividade para a empresa. Basicamente a produção utiliza capital em:

– Custo de funcionários (salários mais benefícios)

– Custo de instalações, tecnologia e equipamentos

– Custo de materiais

Rapidez – Executar as atividades da maneira mais ágil possível, minimizando o lead time – período entre o início de uma atividade e o término. Dessa forma a empresa aumenta a disponibilidade de seus bens e serviços e consegue a vantagem em rapidez. Rapidez resulta em:

– Redução de estoque

– Redução de risco de produzir algo errado

Flexibilidade – Consiste em estar preparado para alterar a programação de produção, reagindo a situações inesperadas sem perder a qualidade dos produtos ou serviços. Fornecer ampla variedade de produtos e serviços. Os tipos de visões sobre flexibilidade são os seguintes:

– Flexibilidade de produto / serviço

– Flexibilidade de composto (mix)

– Flexibilidade de volume

– Flexibilidade de entrega

WhatsApp Image 2017-09-01 at 17.40.14

Figura 2: Objetivos de desempenho provocam efeitos externos e internos. O custo interno é influenciado por outros objetivos de desempenho. Fonte: https://www.bing.com/images/search?view=detailV2&ccid=3S%2f6OvNe&id=6DB3BD17BD280FA276CE16FC1856D526CC3540EB&thid=OIP.3S_6OvNeSAR12_vbAmqgZAEgDY&q=efeitos+externos+dos+cinco+objetivos+de+desempenho&simid=607999776902549417&selectedIndex=9&ajaxhist=0

Na Figura 2, podemos observar que é necessário acompanhar as mudanças de ambiente para garantis o desempenho da produção.

Nenhum produto ou serviço é elaborado sem um projeto pré-definido. O projeto é realizado para definir estratégias para que o mesmo se torne eficaz e eficiente. No entanto, o projeto deve levar em conta as decisões estratégicas da empresa, desta forma, utiliza-se os cinco objetivos de desempenho.

Conclui-se que através da ferramenta supracitada, podemos controlar e gerir de forma mais eficiente e eficaz a produção, com o objetivo de alcançar as metas pré definidas para melhor desempenho da empresa.

 

Referências Bibliográficas

A evolução da Gestão de Desempenho – Disponível em: http://gestao30.matheus.eti.br/a-evolucao-da-gestao-de-desempenho/

Administração das Operações Produtivas – Disponível em: http://adm.online.unip.br/img_ead_dp/27461.PDF

Os 05 (cinco) objetivos de desempenho – Administração da Produção – Disponível em: http://ferramentagut.blogspot.com.br/2013/09/os-05-cinco-objetivos-de-desempenho.html

Slack, N. Administração da Produção – 3ª ed. Rio de Janeiro: Atlas 2009.

 

 

 

Anúncios