Na década de 40 a Toyota criou um modelo de produção que é visto como de excelência para a produção industrial até os dias de hoje, esse modelo envolve uma mudança de cultura, onde a valorização do ser humano vem em primeiro lugar, dentro da filosofia Toyota existem princípios que podem ser aplicados durante toda fase de gerenciamento de projetos…quais são eles? como aplicar?

1. ENTENDENDO O MODELO

Por volta dos anos 90 a Toyota começou a ganhar significativo destaque comparada à outras indústrias automobilísticas do Japão pela consistência nos processos e produtos. Os carros da marca ficavam cada vez mais velozes e confiáveis a um preço competitivo, e quando a empresa se via frente à uma vulnerabilidade era questão de tempo para ela  estudar e criar projetos para ressurgir mais forte.

Hoje a Toyota é a indústria automobilística mais lucrativa do mundo, graças
a um sistema inventado pela própria marca que presa pela excelência operacional, conhecido como “Sistema Toyota de Produção” ou “STP”, sistema esse que desencadeou uma transformação mundial nas indústrias em relação à filosofia e aos métodos de produção e da cadeia de suprimentos.

O sistema foi criado nas décadas de 40 e 50, num Japão pós-guerra, onde o foco era eliminar desperdício de tempo e de material em todos os passos do processo de produção.

O sucesso do modelo se deu porque ele transformou a excelência operacional em uma arma estratégica, baseada não só nos métodos de melhoria de qualidade e ferramentas, habilidade de cultivar liderança, equipes e cultura a fim de construir relacionamento com fornecedores, como também em uma filosofia empresarial baseada na compreensão das pessoas e da motivação humana, criando sempre um ambiente de aprendizagem.

A Figura 1 mostra os pilares que sustentam o sistema Toyota de Produção

img_1898

Figura 1-  Pilares do Sistema Toyota de Produção/ Fonte: http://www.portal-administracao.com/2013/12/sistema-toyota-de-producao.html

Esse sistema merece ser estudado e muitas das suas técnicas podem ser aplicadas no gerenciamento de projetos pois sua ferramenta principal é a integração entre os envolvidos, com o bom relacionamento entre todos os integrantes, incluindo aí os clientes e fornecedores, cultivar e estimular liderança e soluções de problemas em conjunto. O STP foi elaborado para condições que a maioria dos gerentes de projetos enfrentam hoje, que são:projetos voltados para atender processos rápidos e flexíveis, entregando aos clientes o produto que e quando eles desejam, com máxima qualidade e custo justo, além de que sabe-se hoje da importância de uma gestão pensada para as pessoas envolvidas no projeto, onde todos se sintam importantes e participantes do processo.

O sistema é aplicado para chegar ao método de produção conhecido como “produção enxuta”.  Uma indústria de produção enxuta se concentra em fazer o produto fluir através de processos ininterruptos de agregação de valor (fluxo unitário de peça), um sistema que parta da demanda do cliente, reabastecendo apenas o que for ser consumido em curtos intervalos, em uma cultura que todos lutem para a melhoria continua. Taiichi Ohno, fundador do STP caminhava pelo chão de fábrica com objetivo de identificar atividades que agregam valor à matéria prima e livrar-se das outras, mapeava o fluxo de valor da matéria prima ao produto acabado, ele define o sistema como:

O que estamos fazendo é observar a linha de tempo desde o momento que o cliente nos faz um pedido até o ponto em que recebemos o pagamento. E estamos reduzindo essa linha de tempo removendo as perdas que não agregam valor. (Ohno 1988).

A redução de custos tem sido uma paixão desde que Taiichi Ohno criou o Sistema Toyota de Produção, mas não é isso que movimenta a Toyota, existe uma filosofia acima de qualquer projeto gerido pela empresa, independente da sua dimensão, onde TODOS os funcionários envolvidos em tal alinham-se em direção ao  objetivo que é visto como objetivo comum e  que vai além de ganhar dinheiro.

2. COMO APLICAR NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS?

A filosofia do modelo Toyota mesmo tendo sido criada para uma produção industrial pode ser aplicada em todas as fases de um projeto desde suas definições iniciais até a sua entrega aos contratantes, veremos abaixo alguns princípios do modelo e suas aplicações  ao gerenciamento de projetos.

Quando se planeja utilizar as ferramentas do STP  é preciso primeiramente entender que a filosofia principal do sistema é a mudança na cultura  das pessoas no ambiente de trabalho, essas precisam ser vistas como o recurso mais importante da organização. Em se tratando de gerenciamento de projetos, o objetivo principal  deve ser criar estratégias para integrar os participantes, desenvolver e envolver adequadamente as pessoas é necessidade.

O gerente de projetos deve estudar profundamente o sistema de produção enxuta, este é a base para se atingir os mesmos níveis do sistema Toyota, esse sistema além de ser voltado para o corte dos desperdícios de material, tempo e consequentemente dinheiro, padroniza o serviço dos funcionários onde a produção flui harmoniosamente e  as pessoas estão envolvidas ativamente na realização do trabalho e na solução diária dos problemas. Uma leitura desse sistema para aplicação no gerenciamento de projetos faz com que todas as atividades e passos do projeto sejam de extrema importância, já que as atividades que geram perdas de tempo ou qualquer tipo de desperdício já foram eliminadas, o envolvimento de todos na solução dos problemas no decorrer desenvolvimento do projeto é um ponto super positivo pois pode-se chegar com mais facilidade às soluções viáveis,  além de que a padronização da atividade dos envolvidos é de suma importância para a qualidade na entrega final.

Uma outra técnica usada no modelo Toyota que se aplica durante todo o gerenciamento de qualquer projeto é a do PDCA (Plan- planejar, Do-fazer, Check- verificar, Act- agir) para solucionar problemas, essa técnica está relacionada com o Kaizen (termo japonês para o processo de melhora contínua) onde o uso do trabalho em equipe é fundamental para a solução dos problemas.

A Figura 2 descreve o modelo Toyota e o Sistema Toyota de Produção, que definem o estilo de gestão  da empresa.

img_1899

Figura2- Modelo Toyota/ fonte: http://mundodaadm.blogspot.com.br/2011/06/modelo-toyota.html

 

3. OS 14 PRINCÍPIOS DO MODELO

  1. Basear as decisões administrativas em uma filosofia de longo prazo, mesmo em detrimento de metas financeiras de curto prazo.
  2. Criar um fluxo de processo contínuo para trazer os problemas à tona
  3. Usar sistemas puxados para evitar superprodução
  4. Nivelar a carga de trabalho (Heijunka)
  5. Construir uma cultura de parar e resolver os problemas, obtendo a qualidade logo na primeira tentativa.
  6. Tarefas padronizadas são a base para melhoria contínua e a capacitação dos funcionários
  7. Usar o controle visual para que nenhum problema fique oculto.
  8. Usar somente tecnologia confiável e completamente testada que atenda aos funcionários e processos.
  9. Desenvolver líderes que compreendam completamente o trabalho, que vivam a filosofia e ensinem aos outros.
  10. Desenvolver pessoas e equipes excepcionais que sigam a filosofia da empresa.
  11. Respeitar sua rede de parceiros e de fornecedores desafiando-os e ajudando-os a melhorar.
  12. Ver por si mesmo para compreender completamente a situação (genchi genbutsu).
  13. Tomar decisões lentamente por consenso, considerando completamente todas as opções, implementá-las com rapidez.
  14. Tornar-se uma organização de aprendizagem através da reflexão incansável (hansei) e da melhoria contínua (Kaisen).

 

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Após entender melhor o modelo e os 14 princípios que o envolvem observa-se que todos são voltados para o gerenciamento e envolvimento dos funcionários, sempre em busca da melhoria continua e do melhor produto para o cliente, ou seja, por mais que o sistema tenha sido criado para implantar em uma linha de produção específica, pode-se fazer uma releitura de toda a filosofia da Toyota e aplicar no gerenciamento de projetos.

 

Referências Bibliográficas:

LIKER J.K. O Modelo Toyota 14 Princípios de Gestão do Maior Fabricante do Mundo. São Paulo:  Bookman, 2007.

LIKER J.K, HOSEUS M. A Cultura Toyota a Alma do Modelo Toyota. São Paulo: Bookman,2009.

LIKER J.K., MEIER D. O Modelo Toyota Manual de Aplicação. São Paulo: Bookman, 2007.

 

 

 

Anúncios