Um projeto ousado que atinge toda a população de um estado: teve início, meio, e…Onde está a paz?

O que mais se indaga ao se falar sobre o sucesso de um projeto é quais fatores ou partes estão relacionadas à qualidade final, e na maioria das vezes considera-se o tempo, o escopo e o custo como únicos fatores para este sucesso, como podemos ver na figura abaixo. Porém muitas questões devem ser levadas em consideração, e o objetivo é entender se o programa de pacificação no Rio de Janeiro pode ser considerado um projeto de sucesso. Primeiramente se determina: o que pode ser considerado um Projeto?

 

Figura 1: Triângulo de Ferro
Fonte: http://luizricardo.org/2013/09/entendendo-o-triangulo-de-ferro-porque-nao-podemos-ter-tudo/

A UPP é um Projeto?

Encontra-se várias definições de ” Projeto”, das mais simples às mais sofisticadas, e de acordo com Belchior (1972): “projeto é a mobilização de recursos para a consecução de objetivo pré-determinado, justificado econômica ou socialmente, em um prazo também determinado, com o equacionamento da origem dos recursos e detalhamento das diversas fases a serem efetivadas até sua execução”. Portanto, fica evidenciado que, quando há um desafio que demanda soluções através de ideias, escopo, cronograma, atendimento de prazos e custos, pode-se então dizer que há um projeto. A  criação da UPP se enquadra neste contexto,  da seguinte maneira:

  • Escopo:  No início do Projeto pergunta-se o que se quer fazer e o que deve ser feito para chegar no objetivo. Com os objetivos traçados da pacificação, planejamento da primeira unidade, o cronograma foi seguido e juntamente com todo o poder público foi instalada a primeira unidade, que começou a funcionar em 19 de dezembro de 2008, no morro Santa Marta, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro.
  • Custos: A instalação da primeira UPP teve um custo, o qual foi financiado com recursos públicos, e este investimento ocorreu independente se houve superação ou não das expectativas de gastos.
  • Tempo: Um tempo fora estipulado para a conclusão da construção da primeira unidade, e o projeto foi concluído, independente de atrasos.

É válido destacar as partes interessadas neste projeto, afinal, o responsável pelo planejamento quando entende a importância dos stakeholders consegue ter uma visão mais ampla de todo o processo. Os stakeholders do projeto são todos aqueles interessados na pacificação, tanto os responsáveis pela segurança pública, políticos, população, e a própria corporação da Polícia Militar. Será que todos os envolvidos estão satisfeitos?

WhatsApp Image 2017-08-29 at 15.01.00 (1)Figura 2: Stakeholders
Fonte: http://www.slideshare.net/preetkaur06/6-stakeholders-55407080

 

E então se faz a pergunta…

A UPP é um projeto de sucesso?

Um projeto deve ser benéfico e ter um sentido social e econômico. Um projeto entregue dentro do prazo, com êxito no escopo e dentro dos custos previstos não pode ser um sucesso se não houver aceitação do usuário ou cliente. Portanto, o cumprimento dos objetivos nem sempre determinam seu sucesso, mas se os objetivos não são alcançados, sem dúvidas o projeto não é considerado bem sucedido. É importante destacar que, antecipar o término de um projeto e/ou diminuir seus custos não necessariamente é bom para o cliente, deve-se seguir o planejamento à risca. É possível imaginar o que se passa na cabeça de um policial, como na figura abaixo, que mesmo depois da implementação da UPP, tem um grande problema na sua frente, a violência sistêmica.

img_2012

Figura 3: Policial em serviço
Fonte: http://rioonwatch.org.br/?p=13854

 

De acordo com o site da UPPRJ: “O Programa engloba parcerias entre os governos – municipal, estadual e federal – e diferentes atores da sociedade civil organizada e tem como objetivo a retomada permanente de comunidades dominadas pelo tráfico, assim como a garantia da proximidade do Estado com a população”. Analisando estas questões, pode-se dizer que o projeto da UPP  cumpriu todos os objetivos? E a análise de riscos, foi feita?

 

img_2011

Figura 4:  O fim de uma era
Fonte: http://www.anf.org.br/o-fim-de-uma-era/

 

A análise de riscos é uma etapa importante para o projeto, pois nele é possível quantificar e qualificar os riscos que podem influenciar diretamente no cumprimento dos objetivos. Todos os riscos devem ser identificados, analisados, avaliados, tratados e revisados. A crise financeira do estado é um fator externo que impacta diretamente na segurança pública, os números de policiais diminuem, a população passa a desacreditar no poder público, e todo planejamento inicial vai por água abaixo. A UPP não engloba apenas as comunidades nas quais estão instaladas, ela impacta diretamente toda a segurança do Rio de Janeiro. Deve-se  então utilizar recursos e tempo extras para o sucesso do projeto. A ajuda do Governo Federal não sairá de graça para o Governo Estadual. O olhar crítico é fundamental ao se analisar os problemas de frente e entendê-los, mesmo que pareçam muito arriscados.

 

WhatsApp Image 2017-08-29 at 15.01.00

Figura 5: Definir o Contexto
Fonte: http://tgnbrasil.com.br/gestao-de-riscos-corporativos-erm

Por fim, o sucesso de um projeto é definido por diversos fatores, e ao longo de sua implementação pode sofrer alterações e impactos externos, mas o objetivo, mesmo que modificado, tem que ser cumprido e tem que garantir a satisfação do cliente, deve ser útil, senão não faz sentido algum, e a UPP é um projeto que não tem cumprido com seus objetivos, além de impactos externos relevantes que influenciam no seu sucesso.

WhatsApp Image 2017-08-29 at 15.00.58

 Figura 6: Gráfico da Violência
Fonte: http://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2017-02-02/mais-836-homicidios-no-rio-em-2016.html

 

A satisfação da população não está sendo alcançada, os custos já se elevaram demais, o tempo já foi ultrapassado, e se pensar em todos estes fatores juntos, talvez seja melhor criar um novo projeto. Abaixo temos um gráfico da violência nos últimos anos no Rio de Janeiro. De acordo com o jornalista Gustavo Ribeiro do site do Jornal O Dia, os índices de violência no Rio tiveram piora significativa em 2016, assim como a produtividade policial. As últimas estatísticas do Instituto de Segurança Pública (ISP), divulgadas no dia anterior à publicação da reportagem, revelam que nunca houve tantos assassinatos no estado desde 2010. Foram registrados 5.033 homicídios dolosos (quando há intenção de matar) — 19,8% a mais do que no ano anterior. O total de 208.908 roubos foi a maior contagem anual já divulgada na série histórica, iniciada em 2003, com alta de 41,2% em relação a 2015  o total de mortes violentas (que reúne homicídio doloso, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e homicídios decorrentes de oposição à intervenção policial) cresceu 24,7% no ano passado, passando de 5.010, em 2015, para 6.248, em 2016. E então, pra você, a UPP é um sucesso?

 

Referências Bibliográficas:

BELCHIOR, P. G. Planejamento para a Elaboração de Projetos. Rio de Janeiro: Ed.
América,1972.

Definir o contexto. Disponível em: <http://tgnbrasil.com.br/gestao-de-riscos-corporativos-erm&gt;. Acesso em: 24 ago. 2017.

Homicídios no Rio. Disponível em: <http://odia.ig.com.br/rio-de-janeiro/2017-02-02/mais-836-homicidios-no-rio-em-2016.html&gt;. Acesso em: 29 ago. 2017.

O fim de uma era. Disponível em: <http://www.anf.org.br/o-fim-de-uma-era/&gt;. Acesso em 29 ago. 2007

O que é a UPP. Disponível em: <http://www.upprj.com/index.php/o_que_e_upp&gt;. Acesso em: 27 ago. 2017.

Stakeholders. Disponível em: <http://www.slideshare.net/preetkaur06/6-stakeholders-55407080&gt;. Acesso em: 24 ago. 2017

Triângulo de ferro. Disponível em: <http://luizricardo.org/2013/09/entendendo-o-triangulo-de-ferro-porque-nao-podemos-ter-tudo/&gt;. Acesso em: 24 ago. 2017.

VARGAS, R.V. – Gerenciamento de projetos: estabelecendo diferenciais competitivos – 8ª edição, Rio de Janeiro: Brasport, 2016

Policial em serviço. Disponível em: <http://rioonwatch.org.br/?p=13854&gt;. Acesso em30 ago. 2017.

Foto de Capa: Pedro Camilho / Agência Brasil / Fonte:https://www.cartacapital.com.br/revista/962/upp-desastre-anunciado

 

 

 

 

Anúncios