Vacas, Estrelas, Abacaxis e Interrogações?
Mas o que isso tem a ver com uma matriz no qual o objetivo é analisar os seus produtos?
Sim, você deve estar pensando isso ao ler o título, mas esses quatro itens fazem parte de cada quadrante da Matriz BCG.

 

A matriz BCG foi criada por Bruce Henderson para a empresa de consultoria empresarial americana Boston Consulting Group em 1970, por isso BCG. A matriz é uma das maneiras mais visuais de identificar e representar a posição dos seus produtos em relação ao mercado se baseando no conceito de ciclo de vida do produto, priorizando aqueles que possuem mais lucro com menos recursos.

Antes de aprofundarmos no método da Matriz BCG, gostaria de falar brevemente sobre a relação do ciclo de vida do produto com ciclo de vida de projetos.

Um projeto tem início e fim bem definidos com objetivo de gerar um resultado, um produto ou serviço único. Então, o produto é um resultado final de um projeto. Agora, vamos as diferenças, o ciclo de vida de um projeto vai do início até o fim estimado do seu projeto e já o ciclo de vida de um produto pode começar até mesmo antes de um projeto se iniciar e contínua seu ciclo mesmo depois do encerramento do projeto.

Ok, entendemos como o ciclo de vida no qual a matriz BCG se baseia se encaixa em projetos, mas como ela funciona?

A matriz BCG, como se pode ver abaixo, é composta por dois eixos: taxa de crescimento do mercado e participação do produto no mercado. Sendo também dividido em dois setores: Alto e baixo.

WhatsApp Image 2017-05-13 at 12.23.32
Figura 1 – Matriz BCG / Fonte: Site ContaAzul

Cada quadrante é representado por um símbolo no qual remete a uma classificação ao seu produto.

O quadrante correspondente a alta participação do produto no mercado e alta taxa de crescimento do mercado, são produtos ESTRELAS, ou seja, produtos que geram muito lucro mas ao mesmo tempo exigindo um bom investimento para alcancar essa boa performance em vendas.

O quadrante correspondente a alta participação do produto no mercado e baixa taxa de crescimento do mercado, são produtos VACAS LEITEIRAS, ou seja, produtos que geram muito lucro mas ao contrário das estrelas, não exige um alto investimento de tempo ou dinheiro em marketing ou vendas. É o tipo de produto que todos idealizam, pois sua qualidade e outras características já fazem seu próprio marketing com os consumidores.

O quadrante correspondente a baixa participação do produto no mercado e alta taxa de crescimento do mercado, são produtos INTERROGAÇÃO, ou seja, produtos normalmente recém-lançados no mercado. A empresa investe no produto mas ainda não geram retorno.

O quadrante correspondente a baixa participação do produto no mercado e baixa taxa de crescimento do mercado, são produtos ABACAXI, ou seja, produtos que obterão altos investimentos e uma péssima performance no mercado. Se tornando um produto aonde a empresa deve analisar a viabilidade de descontinuar o produto.

O estudo e utilização desta ferramenta deve ser feito rotineiramente, devido a tecnologia e globalização, vivemos em diferentes cenários cada dia que passa pois, o mercado pode estar indo bem hoje mas amanhã tudo pode mudar. Tornando assim a matriz “viva”.

Os produtos podem se movimentar de quadrante para quadrante de acordo com o seu ciclo de vida.

Podendo ser um “interrogação” ao ser lançado no mercado e podendo seguir dois caminhos, se tornar um “abacaxi”, recebendo duas opções: recuperação rápida de quadrante ou remoção deste do catálogo de produtos ou uma “estrela”. Se o produto eventualmente se direcionar ao caminho positivo de ser uma “estrela” poderá com passar do tempo se tornar uma “vaca leiteira”, se vier a ser um líder no mercado.

Muitos podem se sentir acomodados com situação se o seu produto se tornar uma vaca leiteira, e com razão, certo? O produto dele é líder do mercado… ERRADO. Obter um produto vaca leiteira também exige atenção. Como dito anteriormente, nosso mercado globalizado e tecnólogo torna as coisa mais rápidas e inovadoras, e se não manter sua “vaca” com melhorias contínuas e atualizadas tecnologicamente, poderá ser desclassificada por uma “vaca” concorrente.

Muitas vezes, lemos a teoria e achamos que compreendemos como a ferramenta funciona, mas somente na prática se consegue enxergar a real função dela e como podemos implementar ela no dia-a-dia das empresas. Então, segue abaixo um exemplo do uso da Matriz BCG.

Vamos simular que fazemos parte de uma empresa de tecnologia que vende produtos de informática. Nos anos 90, os computadores pessoais (PC) se tornaram muito populares, criando assim um grande leque de oportunidades para investir na tecnologia.

Logo depois, vieram os notebooks, que ao contrário dos PCs, tinham uma mobilidade de transporte fazendo o mesmo papel do computador pessoal. Assim, os notebooks dividem o mercado com os PCs e atualmente tendo muita vantagem competitiva por ter uma tecnologia tão boa quanto um PC e preço parecidos.

Com o decorrer das inovações tecnológicas, entraram no mercado os smartphones e os tablets. Que obtiveram grande aceitação e ainda estão no topo do mercado de produtos tecnológicos.

Há também algumas inovações que ainda estão em um nível de aceitação do mercado e que mesmo que há vendas e seja uma novidade não estouraram nas vendas, como os óculos 3Ds para TV e smartwatches.

Veja abaixo como ficaria a matriz BCG dessa empresa de informática para visualizar suas vendas:

WhatsApp Image 2017-05-22 at 18.04.58 (1)
Figura 2 – Exemplo de Caso Matriz BCG. / Fonte: Site Marketti

Como vimos no exemplo acima, a aplicação da teoria na prática, de como os produtos vêm, fazem sucesso e depois podem vir outros tomando seu lugar por serem melhores ou o antigo não ser mais “útil” ao estilo de vida atual, como uma seleção natural.

Portanto, vale a pena investir em uma análise de matriz BCG de seus produtos e verificar o que tem que ser retirado do catálogo de produtos pois não está trazendo lucro para a empresa e, tendo também uma visão em qual área se pode investir em novas tecnologias.

Referências Bibliográficas:

ROBERTO CÉSAR. Planejamento Estratégico Matriz BCG. 2010. Disponível em:<https://professorrobertocesar.files.wordpress.com/2010/08/7-matriz-bcg.pdf&gt;. Acesso em: 15 maio 2017.

ENDEAVOR BRASIL. A Matriz BCG no ciclo de venda: como identificar vacas leiteiras e abacaxis. 2015. Disponível em: <https://endeavor.org.br/matriz-bcg/&gt;. Acesso em: 15 maio 2017.

RAFAEL LIBERATO. Estudo de Caso Matriz BCG: entenda melhor o ciclo de vida dos seus produtos. 2017. Disponível em: <http://marketti.com.br/matriz-bcg-ciclo-de-vida-dos-produtos/&gt;. Acesso em: 22/05/2017

 

 

Anúncios